sábado, 4 de junho de 2022

VIGÉSIMO TERCEIR0 DIA (30/05/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 4.9,10, 11

Confiando na oração e nas armas de guerra, os judeus não se deixaram intimidar; eles trabalhavam e vigiavam. Eles puseram um vigia para espiar o inimigo que poderia estar se aproximando, dando tempo aos judeus para se armarem para uma possível batalha.

desfaleceram as forças dos carregadores. Havia muitos escombros para serem retirados, de tal modo que os que tinham o trabalho de carregá-los para fora estavam completamente exaustos, e isso era uma ameaça para o trabalho. A tensão na narrativa aumenta pela realista revelação de fraqueza no acampamento dos judeus. Este versículo é reconhecido como o fragmento de uma lamentação.

As forças dos trabalhadores “cambaleava”, conforme significa a palavra hebraica correspondente. Essa palavra tem sido encontrada indicando a fraqueza e o cambaleio causado por muito jejum. Conforme o Sal. 31.10. o dramático termo “abalados”. “Os construtores estavam enfrentando novos problemas:

- Estavam física e psicologicamente exaustos, e o trabalho parecia interminável.

- E também enfrentavam a ameaça de algum ataque em segredo. (v11)

Nada saberão disto. Uma campanha de assassinatos em massa, em segredo. Um ataque frontal e aberto teria sido eficaz. Não havia como Judá resistir contra os muitos inimigos que circundavam seu minúsculo território. Mas o rei da Pérsia não toleraria uma “guerra" interna nos territórios do império. Mas ataques secretos com assassinatos, o equivalente aos confrontos de guerrilhas, seriam eficazes. Conforme as mortes se fossem multiplicando, os trabalhadores fugiriam das muralhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário