segunda-feira, 25 de julho de 2022

DIZIMAR É ANTES DE TUDO GRATIDÃO.


Em Gênesis 8.20, lemos que Noé ao sair da arca, após o dilúvio, ofereceu a Deus sacrifícios em gratidão pela sua salvação e a de sua família.

Este fato bíblico comprova, mais uma vez, que a prática de ofertar alguma coisa a Deus sempre emana, desde o princípio, de um coração generoso e, sobretudo, agradecido.

Em Gênesis 14.20, nos deparamos com um episódio que bem ilustra a prática do dízimo como forma de agradecimento a Deus. O escritor aos Hebreus no capítulo 7 versículo 4 também fala sobre o ocorrido: “Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.”

A atitude que Abraão tomou diante de Melquisedeque, sacerdote do Deus Altíssimo, demonstra sua gratidão a Deus pela vitória. Essa é, inclusive, a primeira menção bíblica da expressão “dízimo”, sugerindo que o costume era observado pelos povos primitivos, muito antes da lei; de sorte que é um tremendo equívoco pensar que a origem do dízimo remonta à lei mosaica.

Se acompanharmos atentamente as narrativas bíblicas no livro de Genesis, iremos nos deparar com Jacó, mais especificamente com o voto que ele fez a Deus, comprovando que a prática das ofertas e dízimos era algo bem comum nas sociedades primitivas. “Então, levantou-se Jacó pela manhã, de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por sua cabeceira, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela. E chamou o nome daquele lugar Betel; o nome, porém, daquela cidade, dantes, era Luz. E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer e vestes para vestir, e eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor será o meu Deus; e esta pedra, que tenho posto por coluna, será Casa de Deus; e, de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.” (Gn 28. 18-22)

 

TEMA: UMA DÚVIDA CHAMADA "SE"


A dúvida chamada “se” tem demolido mais estruturas de fé do que os arrazoados filosóficos mais bem arquitetados, tornando este ataque do diabo o mais veemente e ardiloso. O diabo insinua. Não se trata de uma negação direta e objetiva, mas da colocação de uma dúvida na base da nossa alma.

NÃO DEIXE DE ASSISTIR AO VÍDEO

quinta-feira, 21 de julho de 2022

QUEM NÃO TEM PECADO, ATIRE A PRIMEIRA PEDRA.


 

Poucos são os textos bíblicos com demonstração tão eficaz e revelação surpreendente sobre a leveza do ser do homem em julgar os erros dos outros sem olhar os seus próprios do que a passagem sagrada que fala da mulher pega em adultério.

 

De um lado, nós temos como pano de fundo da narrativa bíblica a mulher flagrada em ato de pecado. Do outro, homens “santos” dizem-se desonrados pela conduta pecaminosa da judia vilã e querem sua morte. A cena histórica configura-se como pedagogia. O Filho de Deus, escrevendo na areia em silêncio misterioso, resiste aos apelos dos “santos” para que Ele julgue a atitude da pobre mulher.

 

Os homens que acusavam a mulher eram modelos morais. Só que em face da pergunta de Jesus, “quem não tem pecado, atire a primeira pedra?” a debandada foi geral. Semelhante crítica foi a do sambista brasileiro que, na década de 90, põe em xeque a moral brasileira: “Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão!”

 

Aqueles homens “santos” tiveram que enfrentar o fato inexorável que, na maioria das vezes, a indignação pelo ato errado dos outros, é só uma tentativa de esconder o lado negro das nossas perversões pessoais. Quase sempre, toda ação revoltosa em querer punir alguém é uma tentativa de tirar alguma coisa que está nos incomodando. Os homens da lei foram confrontados por Jesus pelo lado da sua interioridade, pois Jesus mostra que o desejo de fazer o mesmo que o outro fez é uma realidade avassaladora na vida do mais honestos. E detalhe: todos nós somos capazes de fazer pior do que o outro. Por isso o que o outro fez de errado ameaça tanto os que gostariam de ter feito ou aqueles que continuam fazendo.

 

O comportamento de alguns irmãos e irmãs envolvidos em escândalos é a mais pura evidência de que usamos várias máscaras para ocultarmos o nosso verdadeiro rosto.


Soli Deo Gloria

Pastor Flavio Constantino


TEMA: "CRISE - UM TEMPO DE OPORTUNIDADES (parte 3)


 

TEMA: "O ARREBATAMENTO DA IGREJA".


 

TEMA: "CRISE - UM TEMPO DE OPORTUNIDADES (parte 2)


 

TEMA: "AS 5 ADVERTÊNCIAS DE JESUS FEITAS ATRAVÉS DA PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO."


 

TEMA: "CRISE - UM TEMPO DE OPORTUNIDADES (parte 1)


 

TEMA: "O TEU MILAGRE ESTÁ CHEGANDO".


 

terça-feira, 12 de julho de 2022

PRIMEIRA SANTA CEIA E FUNDAÇÃO DA AD BÁLSAMO E AVIVAMENTO (03/07/2022)


 Foi um momento de muito regozijo e quebrantamento na presença de Deus. Vai nascendo um grande movimento da parte de Deus.

TEMA: "OS 5 DRAMAS EXISTENCIAIS DA VIDA HUMANA


 

INTRODUÇÃO:

Paulo foi o maior pastor, teólogo, missionário e plantador de igrejas da história do cristianismo. Ele plantou igrejas nas províncias da Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia Menor. Ele enfrentou açoites, prisões, naufrágios e apedrejamento, mas jamais perdeu a doçura nem deixou de glorificar a Deus no sofrimento. Em 2 Timóteo 4.6-18, Paulo fala que seu passado foi marcado por combate, perseverança e fidelidade (2Tm 4.7). Ao enfrentar seu presente, afirma que não é Nero que vai lhe matar, mas ele é quem vai se entregar (2Tm 4.6). Ao vislumbrar seu futuro, está seguro de que a recompensa divina já está preparada para ele.