terça-feira, 28 de junho de 2022

ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR


 

Paulo nos diz que o grande poder na vida é sempre o contentamento, é gratidão, é a capacidade de poder tudo naquele que nos fortalece. Aliás, sua maior exortação à alegria foi feita enquanto ele estava preso em um calabouço gelado e sem amigos.

 

Segundo Jesus, a grande resposta do homem à calamidade, à perseguição que aconteça em razão da verdade e da justiça, deve levá-lo para um lugar de exultação.

 

No Evangelho tudo é alegria, até a lágrima que faz o coração estranhamente feliz. Até o fim do mundo deve ser visto com exultação, pois, se crê que haverá novos céus e nova terra.

 

Provavelmente o grito mais emblemático desse mandamento existencial da alegria venha do Profeta Habacuque, quando disse que deveríamos viver alegres com uvas ou com espinhos, com leite ou com lama, com pastos verdes ou na grama marrom da seca, tendo ou não tendo, ou até esperando e vendo a promessa atrasar-se. Enfim, em qualquer circunstância, e sempre dizendo: “Ainda que seja tudo ruim, eu me alegro no Senhor, no Deus da minha salvação”.

 

No entanto, o contentamento, a alegria, a gratidão que vem de Deus, só se estabelecem em nós com a invasão da eternidade no coração do homem, e com a consciência em fé que o faça transcender na esperança da glória de Deus; pois, somente depois disso é que se dá o passo seguinte, que é aprendermos a nos gloriar nas próprias tribulações.

 

Mas lembre-se: você não tem que andar gargalhando. Alegria não é gargalhada necessariamente. Ao contrário, muitas vezes as alegrias mais profundas vêm nas correntes das lágrimas.

 

Entretanto, seja sorrindo seja chorando, a alma pode aprender a alegria e a serenidade exultante no espírito! Sabe porquê? O Espírito da Vida habita em nós!

TEMA: "O DESTINO DOS HOMENS NAS MÃOS DE DEUS".


 

Não são os poderosos deste mundo que determinam os rumos da história. Não são os historiadores que decifram os mistérios da história. Não são os filósofos que interpretam os segredos da história. Não são os futurólogos que retiram o véu da história. Toda a história começa com Deus, está sob o controle de Deus e terminará segundo a vontade de Deus.

52º DIA (28/06/2022) ÚLTIMO DIA DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: HABACUQUE 1.1 – 17

A) Os Caminhos de Deus às vezes são misteriosos;

B) Os Caminhos de Deus às vezes são mal interpretados;

C) Os Caminhos de Deus precisam ser biblicamente interpretados;

D) Os Caminhos de Deus precisam resolver nossas perplexidades.

51º DIA (27/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 9.13 - 15

 

1. Deus é aquele que fala ao seu povo através da sua Palavra – v. 13-14

Deus fala do céu e Deus desce. Com letras de fogo na pedra, o dedo de Deus escreveu as tábuas da Lei. Deus deu juízos retos, leis verdadeiras, estatutos e mandamentos bons.

Deus fala pela Palavra. Ele trouxe sua Palavra a Moisés. Esdras e os levitas estão lendo essa Palavra ao povo. Hoje a maior necessidade da igreja é da Palavra de Deus. Deus continua falando ao seu povo pela sua Palavra.

Não devemos buscar outras vozes, subjetividades, profecias forâneas às Escrituras, mas devemos buscar a Palavra de Deus.

2. Deus é aquele que provê sustento para o seu povo – v. 15

Cerca de 2 milhões de pessoas perambulam pelo deserto, com suas crianças, animais, velhos. A roupa não envelheceu no corpo. A sandália não envelheceu no pé. Da rocha brotou água. Do céu caiu maná (Sl 105:40; 78:24) e codornizes. Deus sustentou seu povo com abundante provisão.

Precisamos confiar no provedor mais do que na provisão.

Deus provê as bênçãos temporárias e dá graciosamente a terra prometida (v. 15b).

CONCLUSÃO

É tempo da igreja reunir-se sob a Palavra de Deus para renovar sua aliança com o Senhor. Precisamos ter esse senso da glória de Deus em nossos cultos, arrependimento, confissão, adoração e percepção clara quem é Deus e o que ele faz.

Precisamos olhar para o passado e ver as lições da história: pois o mesmo Deus que fez, faz e fará maravilhas na vida do seu povo.

domingo, 26 de junho de 2022

50º DIA (26/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 9.8 - 12

 

1. Deus é fiel para cumprir suas promessas – v. 8

Deus achou o coração de Abraão fiel e fez uma aliança com ele. Ele vela pela sua Palavra em a cumprir. Passa o céu e a terra, mas a sua Palavra não passará. Ele não é homem para mentir. Mesmo quando somos infiéis, ele permanece fiel, porque não pode negar a si mesmo.

Estamos numa relação pactual com Deus. Ele prometeu ser o nosso Deus e o Deus dos nossos filhos para sempre. Deus prometeu a Abraão e sua descendência bênçãos pessoais, nacionais e universais.

2. Deus é aquele que liberta o seu povo da aflição – v. 9

Deus vê e Deus ouve. Ele é o Deus presente. Ele se importa conosco. Ele viu a aflição do povo no Egito. Ele ouviu o seu clamor. Ele desceu. Ele libertou o povo com mão forte e poderosa.

A ênfase está nas ações de Deus em favor do seu povo escolhido: “viste, ouviste, fizeste, dividiste, lançaste, guiaste, desceste, falaste, deste, juraste”.

Deus ainda continua libertando. Ele ainda continua quebrando as cadeias e despedaçando os ferrolhos de ferro. Ele ainda continua abrindo as portas de bronze e trazendo o seu povo para um lugar espaçoso.

3. Deus é aquele que opera milagres para revelar o seu poder – v. 10-11

Deus não apenas tirou o seu povo do Egito, mas derrubou os deuses do Egito. Deus enviou dez pragas. Cada praga foi dirigida contra uma divindade no Egito. Deus estava revelando ao mundo que só ele é Deus.

Os milagres não são o Evangelho, mas podem abrir portas para ele. O nome de Deus foi exaltado através dos milagres operados no Egito.

Quando o povo ficou encurralado, cercado por todos os lados, Deus abriu um caminho no meio do mar. Ele continua abrindo caminhos na tormenta.

4. Deus é aquele que guia o seu povo com sua presença – v. 12

Tanto a coluna de fogo como a coluna de nuvem eram símbolos da presença de Deus com o seu povo. A presença de Deus protege, aquece, refrigera e orienta.

A coluna de fogo os aquecia no frio do deserto e lhes alumiava o caminho.

A coluna de nuvem refrescava-lhe o calor do deserto e lhes dava refrigério nas caminhadas do dia.

O Senhor está conosco sempre. Sua presença é o nosso alento para a caminhada da vida até entrarmos na terra prometida.

49º DIA (25/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 9.6,7

 

O conhecimento do Senhor alcança suas alturas mais culminantes nas orações do povo de Deus. A mais profunda teologia de Paulo está nas suas orações. Esdras 9; Neemias 9, Daniel 9, são exemplos de gloriosos lampejos da teologia através da oração.

Como Deus é descrito nessa oração dos levitas? Eles contemplam a majestade de Deus, exaltam seu poder e descrevem seus gloriosos feitos.

2. Deus é o preservador – v. 6

“…e tu preservas a todos com vida”. Deus não só criou todas as coisas, mas sustenta toda a criação. Ele que faz a semente brotar. Ele é quem renova a face da terra (Sl 104:30; At 17:25,28).

Ele dá vida, saúde, alimento, proteção, paz.

Ele dá chuva e o sol. Ele não é como o relojoeiro que dá corda e vai embora. Ele está presente, ele atua na obra da criação.

Ele é o Deus que alimenta os pássaros, veste as flores, abastece as fontes, enche a terra da sua bondade. Dele vem o pão que está em nossa mesa, a saúde para saborearmos o pão, a força para trabalhar.

3. Deus é o Senhor – v. 6

Ele é o dono, proprietário absoluto de todas as coisas.

Ele é o soberano que está no trono e faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade.

Ele está sentado na sala de comando do universo e dirige as nações. Ele levanta reinos e abate reinos. Ele levanta reis e abate reis. Ele está no trono e o Cordeiro está com o livro da história nas mãos. A história está segura nas suas mãos (Ap 4,5).

4. Deus é aquele que elege os seus escolhidos – v. 7

A eleição divina é soberana.

A eleição divina é graciosa.

A eleição divina é livre.

A eleição divina é incondicional.

A eleição divina é Cristocêntrica.

A eleição divina é proposital: salvação pela santificação do Espírito.

Deus não nos elegeu porque previu que iríamos crer, nem porque éramos santos, ou praticávamos boas obras. Cremos porque ele nos elegeu. Fomos eleitos para as boas obras e não por causa delas.

5. Deus é aquele que chama eficazmente – v. 7

Deus não apenas elegeu Abrão, mas tirou-o de Ur dos Caldeus. Tirou-o da sua idolatria. Tirou-o dos seus ídolos. Deus mudou seu coração, seu caminho, sua vida, seu futuro, sua eternidade.

O chamado de Deus é irresistível. As ovelhas de Cristo ouvem a sua voz. Deus abre o coração. A bondade de Deus conduz ao arrependimento e a fé é dom de Deus. Tudo provém de Deus.

6. Deus é aquele que transforma o pecador – v. 7

Deus mudou o nome de Abrão (grande pai), para Abraão (pai de uma grande nação). Abraão esperou 25 anos até Isaque nascer. Depois Deus mandou Abraão sacrificar Isaque. Abraão confiou que Deus poderia ressuscitar o seu filho. Deus então lhe prometeu uma descendência numerosa como as estrelas do céu. Nós os que cremos somos filhos de Abraão. Todos os remidos, em todos os lugares, em todos os tempos são filhos de Abraão (Rm 2:28-29: Gl 3:29; Fp 3:3).

Deus muda a nossa sorte, a nossa vida, o nosso coração. O poder não vem de dentro, mas do alto.

 

48º DIA (24/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 9.1- 5

Os grandes reavivamentos da história foram produzidos pela Palavra de Deus. Vimos no capítulo 8 de Neemias que o povo se reuniu para ouvir a Palavra de Deus. A leitura, explicação e aplicação da Palavra trouxe choro pelo pecado e alegria de Deus na vida do povo.

Vimos também que a liderança reuniu-se para aprofundar-se no estudo da Palavra e o resultado foi a restauração da vida religiosa de Jerusalém.

Essas reuniões de estudo da Palavra aconteceram durante 24 quatro dias (8:1-3,8,13,18;9:1). Havia fome da Palavra e o estudo e obediência da Palavra trouxeram um poderoso reavivamento espiritual.

Não temos nenhum outro relato bíblico de um culto tão impressionante como esse, quando o povo pelo exemplo de seus líderes reúne-se durante um mês para estudar a Palavra e acertar a sua vida com Deus.

I. O QUEBRANTAMENTO DO POVO – v. 1-5

1. O quebrantamento passa pela contrição diante de Deus – v. 1

O povo caminhou da festa (8:13-18) para o jejum (9:1-3). O povo jejuou e cobriu-se com pano de saco. Esse é um símbolo de contrição, arrependimento e profundo quebrantamento. O povo reconheceu o seu pecado. Reavivamento começa com choro, com humilhação, com quebrantamento diante de Deus (2 Cr 7:14). Não podemos adorar o Rei da glória antes de contemplarmos a triste condição do nosso pecado.

2. O quebrantamento passa por uma separação de tudo o que Deus condena – v. 2

Quebrantamento envolve obediência. O povo toma a decisão de deixar todos aqueles que não eram da linhagem de Israel para se consagrar ao Senhor.

Aqueles que não haviam se convertido ao Judaísmo não participavam dessa reunião. Eles não tinham a mesma fé e o mesmo Deus. Não há comunhão fora da verdade.

O problema aqui não é racial, mas teológico (10:28). Unir-se aos outros povos era transigir com a fé, era aceitar o sincretismo, era uma espécie de ecumenismo.

3. O quebrantamento passa pela confissão de pecado – v. 2

Quando somos iluminados pela verdade da Palavra, deixamos de nos justificar e então, reconhecemos nossos pecados e os pecados dos nossos pais. Confissão é o maior sinal do arrependimento (Pv 28:13).

A culpa é comunitária no tempo e no espaço (1:6; 9:2). A responsabilidade é coletiva. Não podemos nos isolar, somos uma família, um rebanho, um corpo, a noiva do Cordeiro.

Quando um membro sofre, todos se entristecem com ele. Quando um membro cai, os outros devem corrigi-lo com espírito de brandura.

4. O quebrantamento é produzido pela leitura da Palavra de Deus – v. 3

Quando a Palavra de Deus é lida, explicada e aplicada, então, os corações se derretem (8:8-10).

Precisamos resgatar a supremacia da Escritura e a primazia da pregação na igreja. O Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê. Toda a Escritura é inspirada por Deus. Só há um evangelho. Precisamos expor essa Palavra com lágrimas, no poder do Espírito. A proclamação da Palavra produz mudança na vida do povo.

5. Só um povo que se levanta do quebrantamento pode exaltar a Deus de modo digno – v. 4-5

Só os que choram pelos seus pecados, podem se alegrar em Deus. Só os que se humilham diante de Deus, podem ser restaurados por Deus. Vemos a glória de Deus quando molhamos os nossos olhos nas lágrimas do arrependimento.

Os levitas têm uma visão gloriosa da transcendente majestade de Deus (v. 5b).

47º DIA (23/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: DANIEL 10.13,14,16,17

1. Discernimento quanto à batalha espiritual – v. 13,20

a) A Hostilidade (v. 13,20) – O anjo fala com Daniel sobre a batalha travada nas regiões celestes. Há resistência espiritual às orações dos santos. Paulo diz que a nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra principados, potestades, dominadores deste mundo tenebroso e forças espirituais do mal. Muitos acontecimentos na terra são reflexos dos acontecimentos no mundo dos espíritos.

b) O Ajudador (v. 21) – Miguel é o arcanjo. O defensor do povo de Deus (Dn 12:1). Seu nome é citado 5 vezes na Bíblia (uma vez em Judas, uma vez em Apocalipse e três vezes em Daniel).

2. O toque para levantar-se – v. 10-14

O Anjo do Senhor toca em Daniel. Ele estava prostrado com o rosto em terra e enfraquecido. Deus o levanta através da sua voz e do seu toque. Mas o que pode levantar esse homem?

a) Saber que é amado no céu – v. 11

b) Saber que os céus se movem em resposta às suas orações – v. 12

c) Saber que o futuro está nas mãos de Deus – v. 14

3. O toque para abrir a boca e falar – v. 16-17

Daniel é tocado nos lábios como Isaías. Quando é tocado, ele sente dores (como de parto). Ele se sente fraco e desfalecido. Só aqueles que se quebrantam diante de Deus têm poder para falar diante dos homens.

Daniel está extasiado diante do fulgor da revelação do anjo que lhe toca (v. 17). Só pode falar com poder aos homens, aqueles que ficam em silêncio diante de Deus.

4. O toque para ser fortalecido – v. 18-21

O Anjo de Deus toca a Daniel agora para o fortalecer. O Anjo lhe diz: Não tenha medo (v. 19). O Anjo reafirma que ele é amado no céu (v. 19). O Anjo ministra Paz àquele que está aturdido por causa do fulgor da revelação. Duplamente o anjo lhe encoraja: Sê forte! Sê forte!

CONCLUSÃO

1. Daniel capítulo 10 nos enseja algumas lições práticas:

a) Quem são os verdadeiros inimigos do trabalho de Deus?

1) O grupo dos desencorajados;

2) Os samaritanos que se opõem à obra;

3) Os reis persas que atendem aos samaritanos;

4) Sobretudo, os anjos caídos (v. 13,20) – A nossa guerra principal não é contra o desânimo, nem contra os homens, mas contra os principados e potestades. Os homens não crêem porque o príncipe deste mundo cega o entendimento dos incrédulos (2Co 4:4).

b) Quais são as armas apropriadas para o conflito em que estamos engajados?

Esse conflito exige que nos entreguemos à oração, ao jejum, ao pranto e ao quebrantamento. Precisamos discernimento para entendermos a luta que se trava no mundo visível e também no invisível.

Como Daniel precisamos entender que há poder de Deus liberado através da oração.

Como Daniel precisamos continuar orando, mesmo que a resposta demore a chegar até nós, ainda que ela já tenha sido deferida no céu.

46º DIA (22/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: DANIEL 10.12,13

 

1. Resposta Imediata – v. 12

Daniel aplicou o coração para compreender e para se humilhar diante de Deus. Temos nós feito isso? Hoje as pessoas que julgam compreender querem ser grandes. Daniel queria ter luz na mente e joelhos dobrados. Os teólogos deveriam ser os homens de coração mais quebrantado.

Daniel é informado que sua oração foi deferida logo que ele começou a orar. Deus tem pressa em responder àqueles que clamam a ele.

2. Resposta Mediada – v. 12b

Deus não apenas respondeu a oração de Daniel, mas destacou um anjo para trazer a resposta a Daniel. Os céus se movem para atender a igreja. Os anjos são espíritos ministradores em favor dos que herdam a salvação (Hb 1:14).

3. Resposta Resistida – v. 13

Deus levanta a cortina e mostra para Daniel que há dois andares no mundo: o físico/material e o espiritual. Muitas vezes só enxergamos as coisas no plano físico. Mas sobre as nossas cabeças desenrola-se uma outra cena, no mundo invisível, espiritual, uma batalha espiritual. Há guerra espiritual entre os anjos de Deus e os anjos do mal. Quando a igreja ora, trava-se uma batalha nas regiões celestes.

terça-feira, 21 de junho de 2022

TERÇAS TERAPÊUTICAS - TEMA: "LIÇÕES NO VALE DA DOR".


 

45º DIA (21/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: DANIEL 10.3,12

 

Daniel se abstém de alimentos. Ele deixa por 21 dias o convívio social e se recolhe para um tempo de quebrantamento, jejum e oração em favor da sua nação.

Muitos judeus preferiram ficar na Babilônia que voltar a Jerusalém. Gostaram da Babilônia. Ele, Daniel, não voltou por causa da sua idade e também porque na Babilônia podia influenciar mais profundamente os reis persas. Mas durante os 70 anos de cativeiro, mesmo ocupando altos cargos, nunca se esqueceu de Jerusalém. Diariamente orava pela cidade (Dn 6:10).

Precisamos resgatar a importância do jejum na nossa vida. Jejum é alimentar-se da essência e não apenas do símbolo. Jejum é fome de Deus, é saudade de Deus.

Daniel está jejuando e orando por duas razões: 1) Muitos judeus se esqueceram de Jerusalém e mostravam pouco interesse em voltar do exílio; 2) Os poucos que voltaram enfrentavam dificuldades sem precedentes em sua tarefa de reconstruir o templo e a cidade.

Os samaritanos haviam apelado ao rei da Pérsia e a obra ficou paralisada. Parecia que os poucos que haviam retornado fizeram-no sem um verdadeiro motivo. Parecia que tudo foram em vão. Foi por esta razão que Daniel estava orando e jejuando.

segunda-feira, 20 de junho de 2022

CHAMADA PARA SANTA CEIA DIA (03/07/2022)


Você que é de Caxias e adjacência, venha estar conosco no próximo dia 03/07/2022 para um maravilhoso momento de comunhão.

44º DIA (20/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: DANIEL 10.1,11-12

Este é o ano terceiro de Ciro. Daniel tem aproximadamente 84 anos. Já é um ancião. Ele orou, chorou e jejuou pela libertação do cativeiro. Agora o povo está em Jerusalém, mas está sob fogo cruzado. A oposição dos samaritanos interrompeu a construção do templo. O povo voltou, mas a restauração plena ainda não aconteceu. Daniel, então, mesmo distante, aflige a sua alma e chora pelo povo.

Daniel é um dos maiores exemplos da oração que temos na Bíblia. Ele ora com seus amigos (Dn 2:17-18) e os magos são poupados da morte. Ele ora com as janelas abertas para Jerusalém e Deus o livra da cova dos leões (Dn 6:10). Daniel orou, confessando o seu pecado e os pecados do povo, pedindo a restauração do cativeiro babilônico (Dn 9:3). Agora, Daniel está orando novamente em favor da sua nação (Dn 10:1-3).

Esse texto tem muitas lições importantes a nos ensinar sobre oração e jejum. Também nos fala dos reflexos que as orações da igreja produzem no céu. Este texto ainda nos ensina grandes lições sobre batalha espiritual.

43º DIA (19/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: LUCAS 1.37

Esse decreto é divino, é espiritual. Não é um decreto saindo da boca de homens, mas de um anjo. Por isso acredito no sobrenatural de Deus. Não é um decreto da invenção e da criatividade humana. Não é um decreto que partiu de nossa emotividade. Nem inventado para animar o povo. É um decreto que veio do céu.

O contexto desse versículo mostra o anjo se dirigindo para Izabel e também para Maria (duas gestações de milagres), dizendo que os filhos iriam nascer. Foi o Senhor quem disse. E diante do Anjo do Senhor, houve uma reverência a esta palavra profética, de milagre e de mudança da história de toda a humanidade.

Essa palavra de alcance é uma Palavra de Gestação, pois Deus está gerando algo em direção a sua vida. Deus está gerando algo para lhe surpreender e para mudar a história de sua casa, e de todos os que estão perto de ti, e de todos os que estão longe. Toda sua família entrará no decreto do sobrenatural de Deus.

 Esse decreto não é um decreto humano, mas do céu. É de Deus. O Senhor disse ao anjo: vá lá e diga às duas gestantes, que estão gerando filhos, um para abrir caminhos para o Messias, e outra que está gerando o Messias. A Bíblia diz que quando elas conversavam acerca dos milagres que Deus fez, o Espírito Santo as possuiu.

Para esse decreto vir, e para que você entenda esse decreto, você tem que estar possuído do Espírito Santo de Deus. Esse decreto não será entendido nas emoções, nem vai ser entendido na mente, nem tampouco captado pelo intelecto, mas será entendido por homens e mulheres que estejam tomados e envolvidos pelo Espírito Santo de Deus.

Tem coisas que vão ser geradas, que não serão de intervenção humana, mas serão milagres. O Espírito Santo é que gera os milagres, e muitos aqui vão ficar grávidos de um milagre no mundo espiritual, pois virá um milagre na sua direção. Mas não fuja!

42º DIA (18/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 8.4,5,6

1. O pregador precisa estar comprometido com as Escrituras – v. 2,4,5

Esdras era um homem comprometido com a Palavra (Esdras 7:10). Eles não buscam alguém para lhes contar bonitas experiências, mas eles procuram um fiel expositor das Escrituras.

A maior necessidade da igreja é de homens que conheçam, vivam e preguem a Palavra de Deus com fidelidade. A pregação é a maior necessidade da igreja e do mundo. A pregação é a tarefa mais importante que existe no mundo.

O impacto causado pela leitura da Palavra de Deus por Esdras é comparado ao impacto da Bíblia na época da Reforma do século XVI.

Precisamos nos tornar o povo “do livro”, “da Palavra”. Não há reavimamento sem a restauração da autoridade da Palavra.

Eles querem não farelo, mas trigo. Eles querem pão do céu. Eles querem a verdade de Deus. Eles buscaram pão onde havia pão.

Muitos buscam a Casa do Pão e não encontram pão. São como Noemi e sua família que saíram de Belém e foram para Moabe, porque não havia pão na Casa do Pão. Quando as pessoas deixam a Casa do Pão encontram a morte. Há muita propaganda enganosa nas igrejas: prometem pão, mas só há fornos frios, prateleiras vazias e algum farelo de pão.

3. Atitudes do povo em relação às Escrituras

a) Ouvidos atentos (v.3) – O povo permaneceu desde a alva até ao meio-dia, sem sair do lugar (v. 7), com os ouvidos atentos. Não havia dispersão, distração, enfado. Eles estavam atentos não ao pregador, mas ao livro da lei. Não havia esnobismo nem tietagem, mas fome da Palavra.

b) Mente desperta (v. 2,,3,8) – A explicação era lógica, para que todos entendessem. O reavimento não foi um apelo às emoções, mas um apelo ao entendimento. A superstição irracional era a marca do paganismo. Oséias 4:6: “O povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento”.

c) Reverência (v.5) – “Esdras abriu o livro à vista de todo o povo, porque estava acima dele; abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé”. Essa era uma atitude de reverência e respeito à Palavra de Deus. Esse púlpito elevado não era para revelar a infalibidade do pregador, mas a supremacia da Palavra.

d) Adoração (v.6) – Esdras ora, o povo responde com um sonoro amém, levanta as mãos e se prostra para adorar. Onde há oração e exposição da Palavra, o povo exalta a Deus e o adora.

sexta-feira, 17 de junho de 2022

41º DIA (17/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 8.1-3

A restauração de Jerusalém passou por três etapas:

a) Restauração física – Os muros e as portas restaurados.

b) Restauração social – A ordem política, social e religiosa estabelecida.

c) Restauração espiritual – promovida pela Palavra de Deus.

A maior reforma implementada por Neemias – A maior reforma que Neemias implementou em Jerusalém foi a restauração da autoridade da Palavra de Deus sobre o povo. Sem essa restauração Jerusalém era absolutamente vulnerável.

1. É espontâneo – v. 1: Deus moveu o coração do povo para reunir-se para buscar a Palavra de Deus. Eles não se reuniram ao redor de qualquer outro interesse. Hoje o povo busca resultados, coisas, benefícios pessoais e não a Palavra de Deus. Querem as bênçãos de Deus, mas não Deus. Têm fome de prosperidade e sucesso, mas não têm fome da Palavra.

2. É coletivo – v. 2,3: Todo o povo: homens e mulheres reuniram-se para buscar a Palavra de Deus. Ninguém ficou de fora. Pobres e ricos, agricultores e nobres, homens e mulheres. Eles tinham um alvo em comum, buscar a Palavra de Deus. Precisamos ter vontade de nos reunir não apenas para ouvirmos cantores famosos ou pregadores conhecidos, mas reunirmo-nos para ouvirmos a Palavra de Deus. O centro do culto é a pregação da Palavra de Deus.

3. É harmonioso – v. 1: “Todo o povo se ajuntou como um só homem” (v.1). Não havia apenas ajuntamento, mas comunhão. Não apenas estavam pertos, mas eram unidos de alma. A união deles não era em torno de encontros sociais, mas em todo da Palavra de Deus.

4. É proposital – v. 1: “e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel” (v. 1). O propósito do povo era ouvir a Palavra de Deus. Eles tinham sede da Palavra. Eles tinham pressa de ouvir a Palavra. Não era qualquer novidade que os atraía, mas a Palavra de Deus.

40º DIA (16/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.

LEITURA BÍBLICA: MATEUS 6.5,6

Em primeiro lugar, é ali que abrimos a agenda da obediência sem racionalizações. Jesus nos ordenou a entrar no quarto e falar com Deus em secreto. É ali que o Pai tem um encontro conosco. Se estamos ocupados demais para nos ocuparmos com Deus então nossa vida caiu num ativismo estéril. Devemos nos deleitarmos em Deus mais do que nas bênçãos de Deus. O doador é melhor do que suas dádivas.

Em segundo lugar, é ali que a agenda da oração a Deus foge dos holofotes. É ali que falamos com Deus em secreto, sem fazermos propaganda de quem somos e do que fazemos. É ali, no anonimato do quarto fechado, que Deus nos vê, nos ouve e nos recompensa. Se não prevalecermos com Deus em secreto, não teremos poder para prevalecer diante dos homens em público. Devemos, à semelhança de Elias, nos prostramos diante do Rei dos reis, para depois nos levantarmos diante do rei.

Em terceiro lugar, é ali que desfrutamos íntima comunhão com Deus. No quarto, com a porta fechada nos desligamos do barulho do mundo, para concentrarmo-nos no relacionamento íntimo com Deus. Ali cessam as vozes do labor para falarmos com Deus e ouvirmos sua doce voz. Nosso prazer em Deus deve ser maior do que nosso deleite nas maiores bênçãos de Deus. A comunhão com Deus deve ser nossa maior aspiração, nossa maior busca e nosso mais precioso tesouro espiritual.

Em quarto lugar, é ali que as recompensas divinas nos alcançam. Deus vê em secreto, Deus age em secreto, Deus recompensa em secreto, mas os resultados dessa audiência com a porta do quarto fechada refletem na vida em público. Pela oração recebemos poder. Pela oração somos curados, consolados e capacitados. Porém, sem oração nos distrairemos e nos afadigaremos com muitas coisas e perderemos o principal, a única coisa necessária. Sem oração nossa vida será rasa, infrutífera e sem virtude do Espírito Santo. Você tem encontrado a Deus no seu quarto de oração?

 

39º DIA (15/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.

LEITURA BÍBLICA: MATEUS 6.5,6

O quarto da oração é o ventre do peixe para Jonas, a ilha de Patmos para João, o porão do navio para Paulo. O quarto da oração é o cenáculo para os cristãos primitivos e a casa que treme pela visitação do Espírito Santo para a igreja de Jerusalém. O quarto da oração é onde temos o maior deleite na terra, pois é ali que ficamos na presença de Deus, onde há plenitude de alegria e delícias perpetuamente. A porta fechada do quarto é onde a porta do céu se abre. Ali é o lugar onde Jesus vem ao nosso encontro e o Espírito nos unge com o óleo da alegria. É nesse lugar secreto que as maiores batalhas são travadas. É nesse lugar que as vitórias mais esplêndidas são alcançadas. É no quarto da oração que somos revestidos de poder para vivermos vitoriosamente. É nesse lugar secreto que a família experimenta seus maiores milagres, a igreja recebe a sua maior força e os céus se fendem para derramar os mais poderosos avivamentos.

 

TERÇAS TERAPÊUTICAS - TEMA: "COMO VENCER A ANSIEDADE".


 

38º DIA (14/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: MATEUS 6.5,6

Numa tosca imitação dos fariseus, nós gostamos dos holofotes, somos atraídos pelas luzes da ribalta, onde fazemos propaganda de nossa vida espiritual. Porém, Deus nos espera para um encontro no quarto da oração, no anonimato do lugar secreto. Os fariseus gostavam de orar em público e tocar trombetas para estadear suas pretensas virtudes, mas nossa vida em público deve ser o reflexo da nossa comunhão com Deus no quarto da oração. O quarto da oração é o nosso lugar secreto, é o santo dos santos onde a glória de Deus assiste. É ali que Deus nos vê, nos ouve e nos recompensa. O quarto da oração é a caminhada de Enoque com Deus, o passeio de Deus com Adão na viração da tarde no jardim do Éden e a experiência da sarça que ardia e não se consumia para Moisés. O quarto da oração é onde o azeite da viúva jorra, enquanto tem vasilhas vazias. O quarto da oração é onde o menino morto tem sua carne aquecida e se levanta da morte. O quarto da oração é o Jordão onde Eliseu recebe porção dobrada do espírito de Elias e onde Jeú recebe a unção para ser rei de Israel e virar a página da história do seu povo. O quarto da oração representava os lugares solitários para onde Jesus se dirigia, para passar noites em comunhão com o Pai.

37º DIA (13/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 7.1-4

36º DIA (12/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.

 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 6.15-16

Neemias e os judeus se regozijaram, mas os inimigos dos judeus ficaram arrasados, com a autoestima destruída, e somente então reconheceram que “Deus estava envolvido na construção daquelas muralhas". Foi uma realização divina. Essa era a única maneira de explicar o que aconteceu em tão pouco tempo e diante de tão ferrenha oposição.

A maravilha ocorreu, não somente devido ao esforço humano, mas por causa da ajuda de Deus.


35º DIA (11/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

34º DIA (10/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 6.1-8

No início da jornada de Neemias rumo a Jerusalém, o propósito era de primeiramente reconstruir os muros que estavam fendidos e em seguida, as portas que estavam queimadas a fogo (Ne 1.3). Durante a reconstrução dos muros, ele enfrentou a oposição dos inimigos e os problemas sociais que consumia a energia do povo, pois tinha como propósito trazer o desânimo e consequentemente a paralisação da obra. Agora veremos nova investida dos adversários quando iniciaram os trabalhos nos portões.

Sambalate chama Neemias para uma conversa no Vale de Ono (ficava a 43 Km de Jerusalém). Era uma região hostil, neutra e por ser uma área de fronteira era por demais perigosa.

Sambalate mandou uma carta aberta para ser lida em público acusando Neemias de conspiração contra o Imperador Artaxerxes, visto que, tinha arregimentado profetas para proclamá-lo rei dos Judeus.

O Reverendo Hernandes Dias Lopes afirma que é impossível fazer a obra de Deus sem oposição externa e interna. O cristianismo não é um paraíso de férias. Aqui não é o céu. Aqui há lutas constantes, por isso precisamos trabalhar de olhos bem abertos. Várias vezes Neemias precisou enfrentar a oposição dos inimigos de fora:

a) O desagrado (Ne 2.10);

b) O desprezo e a zombaria (Ne 2.19);

c) A indignação e o escárnio (Ne 4.1);

d) A humilhação (Ne 4.2);

e) A chacota (Ne 4.3);

f) A confusão (Ne 4.8);

g) A violência (Ne 4.11);

h) A boataria (Ne 4.12).

Enquanto Neemias estava ocupado em resolver os problemas internos, o inimigo deu uma trégua. Mas logo que o problema interno foi resolvido e o povo voltou ao trabalho, o inimigo voltou a atacar. Precisamos lembrar que os inimigos se aliam contra o povo de Deus com incansável persistência e diferentes táticas e estratégias (Ne 6.1). Cabe ao servo de Deus entender que é um soldado e que está em uma guerra contra as trevas. Esta batalha somente terá fim na ocasião de sua morte ou na vinda de Jesus (2Tm 2.3). Como estrategista incansável, Satanás e seus demônios, jamais deixará de se opor a tudo que fazermos na obra de Deus (Mt 4.1-11). Sabendo destas verdades, o cristão nunca poderá estar desatento nesta batalha, antes o seu revestimento vem de Deus e suas estratégias de defesa também (Ef 6.10).

33º DIA (09/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 5.11,12

Neemias é firme, mas também sábio. Ele não manda, mas pede. Ele pede, mas antes dá o seu testemunho. Ele não pede medidas paliativas, antes, toca na raiz do problema: ele pede restituição, um reparo completo na injustiça social.

No versículo 12 a proposta de Neemias foi pronta e completamente aceita. Neemias teve Sabedoria para lidar com os problemas de fora e também com os de dentro. Ele mobilizou o povo, protegeu-o, escutou-o e saiu em sua defesa. Ele é servo do povo e não explorador dele.

Esse capítulo nos mostra também a prudência de Neemias. Neemias não se contenta apenas com a palavra dos nobres e magistrados, ele quer que eles assumam um compromisso legal, oficial diante das autoridades competentes: os sacerdotes. Neemias nos ensina que o líder precisa ser precavido e prudente. Deve confiar, mas também ser criterioso e cauteloso. Neemias nos ensina que Deus pode ser glorificado e Seu povo abençoado quando lidamos de forma correta com os problemas.

32º DIA (08/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 5.6-10

Neemias não ficou passivo diante de tamanha injustiça. Ele reagiu fortemente. Ele se aborreceu. Ele se encheu de ira. Neemias repreendeu os nobres e magistrados e lhes disse: “sois usuários, cada um para com seu irmão.” O conformismo com a injustiça é um grave pecado aos olhos de Deus. A ira em si não é pecado. A ira deve ser focada no mal e não contra quem pratica o mal. A ira é pecaminosa quando nós despejamos sobre nossos filhos, cônjuge, irmãos ou quando nutrimos mágoa ou desejamos vingança. Fomos chamados de Protestantes exatamente pela inconformação com erro e com pecado. Os desmandos no trato da coisa pública e a corrupção endêmica e sistêmica em nosso país deveriam fazer ferver o sangue em nossas veias.

Neemias teve coragem para repreender o erro ainda que na vida dos nobres, dos ricos, dos Poderosos. Ele tem compromisso com a verdade e com a justiça por isso não se intimida. Neemias não amacia a situação. Ele chama os nobres e magistrados de usuários. Ele coloca o dedo na ferida e desmascara os nobres, denunciando sua conduta vergonhosa e injusta.

Neemias não é um líder que apenas tem coragem, ele tem vida. Ele não apenas fala, ele dá exemplo. Neemias não sobe no palanque para falar elogios a si mesmo estando comprometido com os mesmos crimes que denuncia. Ele não é hipócrita.  Neemias não ocupa liderança para tirar vantagem. Ele é um homem que ama o povo e não o dinheiro. Neemias resgatou os judeus escravos dos estrangeiros. Agora, os líderes do Povo estão fazendo essas pessoas escravas novamente. Ele não apenas socorreu os necessitados, mas perdoou-lhes a dívida, visto que não puderam pagar a ele. O maior líder de todos os tempos, Jesus de Nazaré, disse que para você liderar você precisa servir.

As pessoas podem ser colocadas em cargos de poder porque são parentes ou amigas de alguém, porque herdaram dinheiro ou poder. Isto nunca acontece com autoridade. A autoridade não pode ser comprada nem vendida, nem dada nem tomada. A autoridade diz quem você é como pessoa, como é seu caráter e como é a influência que exerce sobre as pessoas.

TERÇAS TERAPÊUTICAS - TEMA: "COMO VIVER SEM MEDO DO AMANHÃ".


 

31º DIA (07/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 5.5

Em quarto lugar, Neemias trata da questão da pobreza e a perda dos bens (v5) o resultado desse sistema draconiano é a perda dos bens daqueles que precisam sobreviver os pobres perderam suas casas e suas terras e tornaram-se reféns dos Poderosos eles trabalham mas não desfrutam eles calejam as mãos mas não usufruem são vítimas de uma injusta opressão Econômica Neemias percebe que o âmago do problema é a exploração por isso contém de com os nobres e magistrados os sacerdotes é que deveriam ter feito esse confronto mas estavam mancomunados com os ricos.

Em quinto lugar, Neemias fala sobre a escravidão e a perda da Liberdade (v5). Além de entregarem suas casas e propriedades, agora entregam também seus filhos e Filhos para saudarem dívidas. Os ricos passam a ver pessoas como coisas e compram seres humanos para serem seus escravos. O trabalho escravo é algo que fere o projeto de Deus. É uma injustiça clamorosa. O comércio escravagista é uma das páginas mais sombrias da história humana, um dos sinais mais notórios da maldade que tomou conta do homem movido pela ganância.

Em sexto lugar, Neemias fala sobre a impotência a perda da Esperança (v5). Não está em nosso poder evitá-lo. Os poderosos fazem as leis, manobram as leis, torcem as leis e escapam das leis. Eles subornam os sacerdotes e os juízes. Eles são inatingíveis. Os pobres não tem vez nem voz. Estão completamente sem forças e sem esperança. Os oprimidos não veem uma saída.

30º DIA (06/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 5.3,4

Em segundo lugar, Neemias fala sobre dívidas (v3): a dívida traz desespero mental, degradação social e ruina familiar. Algumas pessoas já tinham hipotecado suas casas e terras para comprar trigo. Não estavam fazendo negócios de investimento arriscado. Estavam comprando o pão da sobrevivência. Os ricos aproveitaram o momento de crise, de fome, de aperto para fazerem bons e lucrativos negócios. Uma pessoa faminta, premida pela necessidade sobrevivência, acaba fazendo negócios que só beneficiam os que querem se locupletar. Os agiotas se enriquecem aproveitando o desespero dos aflitos. Os agiotas não hesitavam em tomar as terras e até mesmo os filhos e as filhas dos pobres infelizes para receberem o seu dinheiro.

Em terceiro lugar, Neemias menciona os impostos (v4): além da fome e das dívidas contraídas para ter o pão de cada dia, ainda tinham de pagar pesados tributos à Pérsia. O pouco que tinham precisava ser repartido para manter o luxo e o fausto dos poderosos.

29º DIA (05/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 5.1,2

O capítulo 3 de Neemias mostra os recursos que ele usou para mobilizar o povo na construção dos muros de Jerusalém: coordenação, cooperação, aprovação e comunicação.

O capítulo 4 nos informa que a obra foi feita debaixo de intensa oposição dos inimigos provocando desânimo, confusão, ameaça e destruição.

O capítulo 5 aponta um perigo mais difícil de ser enfrentado: a usura dos nobres. Neemias lida agora não com um problema externo, mas interno; não procedente dos inimigos, mas oriundo dos irmãos. O exército de Sambalate é menos perigoso do que a avareza dos nobres.

Neemias identifica seis problemas que atingem a vida do povo:

Em primeiro lugar, Neemias fala sobre a fome (v1,2). Vemos aqui: 1) Os acusadores: o povo. 2) Os acusados: os irmãos ricos. 3) A acusação: a usura. Há um grande clamor do povo. Eles estão trabalhando no muro, mas a panela está vazia. Suas mulheres estão aflitas. A fome é uma questão urgente, não dá para esperar. O povo não pode continuar investindo na reconstrução do muro de estômago vazio. Enquanto uns esbanjam, outros lutam desesperadamente para sobreviver. Enquanto uns ficam inquietos por causa de coisas supérfluas outros se desesperam para ter pão dentro de casa. O problema não é só falta de amor, mas de amor, de solidariedade, de compaixão.

28º DIA (04/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 4.17 - 23

 

Em sexto lugar: confia em Deus, mas seja cauteloso (V 20, 22 e 23). Neemias diz para o povo que é Deus quem peleja por nós, mas em tempos de perigo, Ele ordena o povo para não sair de Jerusalém. Fé não é presunção. Confiança em Deus não aluna prudência. Por isso, fazemos seguro do carro, colocamos trancas em nossas casas e evitamos lugares perigosos em certas horas da noite. É preciso estar em constante senso de combate. Essa guerra não tem trégua. Há muitos obreiros que foram desqualificados porque subestimaram a necessidade da prudência. Sansão, fascinado pela beleza e sedução, deitou-se no colo de Dalila e ficou cego. Davi depois de vitórias tão retumbantes, foi vencido não por um exército nem num campo aceso de luta, mas na cama do adultério.

Em sétimo lugar: empunhar armas de combate, mas saiba que a vitória vem de Deus (v20). É Deus quem frustra os desígnios do inimigo. É Deus quem peleja por nós. É ele quem adestra os nossos braços para a peleja. É ele quem desbarata os nossos inimigos e frustra os seus planos. Do Senhor é a guerra, Ele é o nosso defensor e Dele vem a vitória. A vitória vem de Deus, é de Deus e a glória deve ser tributada a Ele.

Quais são as frentes de batalha que você tem enfrentado nesses últimos tempos? Que tipo de ataque os inimigos têm usado para atingir a sua vida?

Como você tem reagido aos ataques do inimigo? Neemias enfrentou as zombarias com oração e com trabalho concentrado; os complôs, com oração e com a colocação de sentinelas; as ameaças mais fortes com uma chamada geral às armas e com exortação: “lembrai-vos do Senhor e pelejai.”

27º DIA (03/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: Neemias 4.17 - 23

Em terceiro lugar: mantenha os ouvidos bem afinados ao Chamado de Emergência (v18). Aquele que tocava a trombeta estava junto de Neemias. A trombeta não podia dar sonido incerto. O líder tem a responsabilidade de cuidar do povo de Deus. Ele precisa estar atento aos perigos que atacam a igreja. Afine seus ouvidos à voz do alerta para que quando ele soar você prontamente esteja no seu posto de combate.

Em quarto lugar: fiquem perto uns dos outros (v19). Nada pode ser mais perigoso para a igreja do que a falta de união ou proximidade dos irmãos. Um cordão de três dobras não se quebra com facilidade. Gente precisa de Deus, mas gente também precisa de gente. Precisamos trabalhar unidos. Não estamos competindo. Não somos rivais, mas parceiros. Somos membros do mesmo corpo, ovelhas do mesmo rebanho, ramos da mesma videira. Não deve haver ciúmes ou melindres entre o povo de Deus. Não deve existir complexo de inferioridade nem de superioridade entre os membros do corpo de Cristo. Estamos todos engajados na mesma obra. Estamos lutando por uma mesma causa. Somos soldados do mesmo exército, sob o comando do mesmo General. Por isso, devemos estar unidos!

Em quinto lugar: trabalhe na medida das suas forças (v21). Os construtores trabalharam “desde o raiar do dia até ao sair das Estrelas” Deus nos chama para o serviço. Os preguiçosos nunca se envolvem ou cedo desistem. O trabalho de Deus exige dedicação, esforço, suor, constância. O Chamado de Deus não é para o ócio, mas para o trabalho. Nem mesmo na eternidade, estaremos desobrigados do trabalho, pois no céu os remidos servem o Senhor. Se quisermos ver a reconstrução da família, da igreja e da sociedade, precisamos trabalhar enquanto é dia e na medida das nossas forças.