domingo, 26 de junho de 2022

49º DIA (25/06/2022) DOS 52 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO.


 

LEITURA BÍBLICA: NEEMIAS 9.6,7

 

O conhecimento do Senhor alcança suas alturas mais culminantes nas orações do povo de Deus. A mais profunda teologia de Paulo está nas suas orações. Esdras 9; Neemias 9, Daniel 9, são exemplos de gloriosos lampejos da teologia através da oração.

Como Deus é descrito nessa oração dos levitas? Eles contemplam a majestade de Deus, exaltam seu poder e descrevem seus gloriosos feitos.

2. Deus é o preservador – v. 6

“…e tu preservas a todos com vida”. Deus não só criou todas as coisas, mas sustenta toda a criação. Ele que faz a semente brotar. Ele é quem renova a face da terra (Sl 104:30; At 17:25,28).

Ele dá vida, saúde, alimento, proteção, paz.

Ele dá chuva e o sol. Ele não é como o relojoeiro que dá corda e vai embora. Ele está presente, ele atua na obra da criação.

Ele é o Deus que alimenta os pássaros, veste as flores, abastece as fontes, enche a terra da sua bondade. Dele vem o pão que está em nossa mesa, a saúde para saborearmos o pão, a força para trabalhar.

3. Deus é o Senhor – v. 6

Ele é o dono, proprietário absoluto de todas as coisas.

Ele é o soberano que está no trono e faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade.

Ele está sentado na sala de comando do universo e dirige as nações. Ele levanta reinos e abate reinos. Ele levanta reis e abate reis. Ele está no trono e o Cordeiro está com o livro da história nas mãos. A história está segura nas suas mãos (Ap 4,5).

4. Deus é aquele que elege os seus escolhidos – v. 7

A eleição divina é soberana.

A eleição divina é graciosa.

A eleição divina é livre.

A eleição divina é incondicional.

A eleição divina é Cristocêntrica.

A eleição divina é proposital: salvação pela santificação do Espírito.

Deus não nos elegeu porque previu que iríamos crer, nem porque éramos santos, ou praticávamos boas obras. Cremos porque ele nos elegeu. Fomos eleitos para as boas obras e não por causa delas.

5. Deus é aquele que chama eficazmente – v. 7

Deus não apenas elegeu Abrão, mas tirou-o de Ur dos Caldeus. Tirou-o da sua idolatria. Tirou-o dos seus ídolos. Deus mudou seu coração, seu caminho, sua vida, seu futuro, sua eternidade.

O chamado de Deus é irresistível. As ovelhas de Cristo ouvem a sua voz. Deus abre o coração. A bondade de Deus conduz ao arrependimento e a fé é dom de Deus. Tudo provém de Deus.

6. Deus é aquele que transforma o pecador – v. 7

Deus mudou o nome de Abrão (grande pai), para Abraão (pai de uma grande nação). Abraão esperou 25 anos até Isaque nascer. Depois Deus mandou Abraão sacrificar Isaque. Abraão confiou que Deus poderia ressuscitar o seu filho. Deus então lhe prometeu uma descendência numerosa como as estrelas do céu. Nós os que cremos somos filhos de Abraão. Todos os remidos, em todos os lugares, em todos os tempos são filhos de Abraão (Rm 2:28-29: Gl 3:29; Fp 3:3).

Deus muda a nossa sorte, a nossa vida, o nosso coração. O poder não vem de dentro, mas do alto.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário