sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Precisa-se de Matéria Prima Para Construir um País


A crença geral anterior era que Collor não servia, bem como Itamar e Fernando Henrique. Agora dizemos que Lula não serve. E o que vier depois de Lula também não servirá para nada.

Por isso estou começando a suspeitar que o problema não está no ladrão corrupto que foi Collor, ou na farsa que é o Lula. O problema está em nós. Nós como POVO. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a "ESPERTEZA" é a moeda que sempre é valorizada, tanto ou mais do que o dólar.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nas calçadas onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as "EMPRESAS PRIVADAS" são papelarias particulares de seus empregados desonestos, que levam para casa, como se fosse correto, folhas de papel, lápis, canetas, clipes e tudo o que possa ser útil para o trabalho dos filhos ...e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde a gente se sente o máximo porque conseguiu "puxar" a tevê a cabo do vizinho, onde a gente frauda a declaração de imposto de renda para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a impontualidade é um hábito. Onde os diretores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas fazem "gatos" para roubar luz e água e nos queixamos de como esses serviços estão caros.

Onde não existe a cultura pela leitura (exemplo maior nosso atual Presidente, que recentemente falou que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem econômica.

Onde nossos congressistas trabalham dois dias por semana para aprovar projetos e leis que só servem para afundar ao que não tem, encher o saco ao que tem pouco e beneficiar só a alguns.

Pertenço a um país onde as carteiras de motorista e os certificados médicos podem ser "comprados", sem fazer nenhum exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no ônibus, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar o lugar.

Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o pedestre. Um país onde fazemos um monte de coisa errada, mas nos esbaldamos em criticar nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos do Fernando Henrique e do Lula, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem "molhei" a mão de um guarda de trânsito para não ser multado.

Quanto mais digo o quanto o Dirceu é culpado, melhor sou eu como brasileiro , apesar de ainda hoje de manhã passei para trás um cliente através de uma fraude, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como "Matéria Prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas nos falta muito para sermos os homens e mulheres que nosso país precisa.

Esses efeitos, essa "ESPERTEZA BRASILEIRA" congênita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos de escândalo, essa falta de qualidade humana, mais do que Collor, Itamar, Fernando Henrique ou Lula, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são brasileiros como nós, ELEITOS POR NÓS.

Nascidos aqui, não em outra parte... Me entristeço. Porque, ainda que Lula renunciasse hoje mesmo, o próximo presidente que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém o possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Collor, nem serviu Itamar, não serviu Fernando Henrique, e nem serve Lula, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa.

E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente sacaneados!!!

É muito gostoso ser brasileiro. Mas quando essa brasilinidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, aí a coisa muda... Não esperemos acender uma vela a todos os Santos, a ver se nos mandam um Messias.

Nós temos que mudar, um novo governador com os mesmos brasileiros não poderá fazer nada. Está muito claro...... Somos nós os que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda nos acontecendo; desculpamos a mediocridade mediante programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de surdo, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?....

MEDITE!!!!!

Autor: João Ubaldo Ribeiro

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O Último Adeus ao Pastor Rogério Santana



Milhares de amigos prestam homenagem ao pastor

O último adeus ao pastor Rogério Leandro Portela Santana, 36, foi dado por milhares de pessoas que lotaram o templo sede da Assembléia de Deus do Belenzinho em Campinas que em meio a dezenas de coroas de flores, enviadas por amigos, participaram de um culto de despedida dirigido pelo presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, pastor José Wellington Bezerra da Costa.

A banda da congregação do Jardim São Vicente mesclada com vários músicos tocaram hinos da harpa cristã cantados pelo pastor e deputado estadual Adilson Rossi. A congregação do Jardim são Vicente era dirigida pelo pastor Rogério. Um grupo misto da congregação cantou um hino. O coral da sede também cantou um louvor.

Diversos pastores deram sua palavra de conforto a irmã Vanessa Costa Santana, que se manteve ao lado do caixão durante toda a cerimônia. Ministraram os pastores: Carlos Roberto da Silva (secretário da Comadesp – Convenção de Ministros das AD em São Paulo) e pastor na cidade de Cubatão; o pastor Joel Amâncio, de Limeira, que confidenciou o fato de ter sido o pastor que efetuou o batismo do pastor Rogério.

Falou ainda o pastor do setor da Lapa, José Prado Veiga; o pastor presidente da AD Jundiai, Esequias Soares; pastor Valdeni Carneiro (presidente da AD Mogi Mirim); pastor presidente da AD Paulínia, Edvaldo Bueno, que falou em nome do ministério da AD Campinas e representando a Casa Publicadora e os convencionais, falou o pastor José Wellington Costa Jr. O deputado federal e presidente da Igreja o Brasil para Cristo,pastor Roberto Lucena trouxe uma rica palavra precedido pelo pastor representante da igreja do Nazareno, Jocymar Fonseca.

O pai de Rogério Santana, irmão Eliezer Santana, muito emocionado falou em nome dos familiares. Pastor José Wellington não se conteve em lágrimas e discursou com a voz muito embargada, passando em seguida a palavra ao pastor Paulo Freire, que tomou a iniciativa de agradecer a todos pelo carinho dispensado nesta hora tão difícil. Nos seus agradecimentos ele se dirigiu ao seu irmão pastor Joel Freire, que está na Flórida (EUA), que no momento assistia a cerimônia via Web e lhe teceu agradecimentos pelo apoio.

O corpo saiu do templo, por volta das 16 horas, com direção ao cemitério das Aléias no Jardim Flamboyant em Campinas, onde os familiares e centenas de presentes lhe prestaram uma última homenagem.

Fonte: http://www.adcamp.org.br/

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pastor Silas Malafaia pretende apresentar seu programa no SBT


Ratinho está articulando um encontro de Malafaia com Daniela Beiruty, filha de Silvio Santos e atual diretora-geral do SBT

O pastor Silas Malafaia pretende apresentar o programa evangélico de sua igreja no SBT. De acordo com o jornalista Lauro Jardim, a negociação está sendo articulada pelo apresentador Ratinho, que viabilizará um encontro do pastor com Daniela Beyruti, diretora-geral do SBT e uma das filhas de Silvio Santos.

A ideia de Malafaia é veicular um programa evangélico em horário nobre, assim como a Band faz com o "Show da Fé", do missionário R.R. Soares. Atualmente, a Igreja Assembleia de Deus exibe seu programa, o "Vitória em Cristo", em várias emissoras, como a Band, a RedeTV! e a CNT.

Essa não é a primeira vez que um líder de igreja evangélica tenta comprar horários no SBT. Recentemente, R.R. Soares fez proposta para ocupar horários no canal de Silvio Santos. Caso o SBT aceite a tentadora proposta da igreja de Malafaia, a Globo se tornará a única das grandes emissoras sem a veiculação de programas evangélicos em sua grade de programação.

Fonte: http://www.adalagoas.com.br/

Pastor Paulo Freire perde genro em acidente de carro


O engenheiro e pastor do ministério do Belém em Campinas, Rogério Leandro Portela Santana, morreu na noite de ontem, por volta das 21:30 hs, na rodovia Bandeirantes , quando retornava para Campinas . O acidente aconteceu próximo ao km 73, junto ao Hopy Harri.

O carro do pastor Rogério Santana, um Fócus preto, escorregou na pista molhada e bateu no Guard Rail, e ele não resistiu aos ferimentos e veio a falecer.

O corpo está sendo aguardado para ser velado na sede da AD em Campinas, na Rua Pastor Cícero Canuto de Lima - 160 . O corpo ainda está em Jundiaí, vindo direto para a igreja com chegada prevista por volta das 09:30 hs.

Pastor Rogério Santana era casado com Vanessa Santana, filha mais velha do pastor e presidente da AD Campinas Paulo Roberto Freire da Costa, e deixa dois filhos o Paulo Rogério e a Amanda.


Nossa dor

A igreja em Campinas enlutada se sensibiliza coma irmã Vanessa Santana, seu dois filhinhos e todos os seus familiares pela perda irreparável do nosso querido irmão pastor Rogério Santana.

O ministério e a igreja choram juntos com todos os familiares neste momento de infausto, e pedimos ao Espírito Santo que console cada um nesta hora difícil da vida.

Fonte: http://www.pastorjuarezlima.blogspot.com/


Que o Senhor possa confortar e consolar a família e a todos os membros da Assembleia de Deus em Campinas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Campanha de Serra faz ofertas a evangélicos


Tucanos oferecem benefícios em troca de apoio de pastores a Serra

A campanha de José Serra (PSDB) está oferecendo benefícios a igrejas evangélicas e a entidades a elas ligadas em troca de apoio de pastores à candidatura tucana.

O mesmo foi feito na campanha do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin.

O responsável pelo contato com os líderes é Alcides Cantóia Jr., pastor da Assembleia de Deus em São Paulo.

Ele responde pela "coordenadoria de evangélicos" da campanha, criada ainda no primeiro turno exclusivamente para angariar apoios entre evangélicos.

"Disparo entre 150 e 200 telefonemas por dia, mais ou menos", diz Cantóia, que trabalha numa espécie de guichê montado no térreo do edifício Praça da Bandeira (antigo Joelma), quartel-general da campanha de Serra. No local, ele também recebe pastores para "um café".

Os telefonemas são feitos para pastores de várias denominações em todo o Estado de São Paulo, em busca de pedido de voto em Serra entre os fiéis de suas respectivas igrejas.

Segundo Cantóia, entre os argumentos para conquistar o engajamento dos evangélicos, além do discurso relativo a valores, como a posição contrária à descriminalização do aborto, está a promessa de apoio a parcerias entre essas igrejas e entidades assistenciais a elas vinculadas com prefeituras e governo, em caso de vitória tucana.

Como exemplo, cita a possibilidade de, com os tucanos no poder, igrejas poderem oferecer apoio a crianças e adolescentes, complementando o período que elas passam na escola. Assistência a idosos também é citada.

"O objetivo é levar as crianças para dentro da igreja", afirma o pastor. "Esse é um dos argumentos. Seriam igrejas em tempo integral, complementando a atividade da escola."

Cantóia afirma, também, tentar intermediar demandas recebidas de pastores junto a prefeituras. Por exemplo, pedidos para que entidades funcionem como creche ou que virem intermediárias do programa Viva Leite, do governo estadual.

Alcides diz ter sido um dos articuladores que levaram os pastores Silas Malafaia, do Rio de Janeiro, e José Wellington Bezerra, de São Paulo, ambos da Assembleia de Deus, a gravarem depoimentos de apoio a Serra, exibidos em sua propaganda na TV.

O Conselho dos Pastores de São Paulo, que reúne representantes de diversas denominações protestantes, estima que cerca de 80 mil pastores em SP apoiem Serra.

Tucanos admitem oferecer os benefícios

O oferecimento de benefícios, como parcerias governamentais com entidades ligadas a igrejas evangélicas, foi admitido pela campanha de José Serra à Presidência.

No entanto, os tucanos negaram que a campanha, por meio do pastor Alcides Cantóia Jr., tome a iniciativa do contato com pastores.

"A Coordenadoria de Evangélicos faz apenas a intermediação entre partido e segmento evangélico, quando somos procurados", afirma a assessoria da campanha, em resposta a perguntas enviadas por e-mail.

A campanha diz que o trabalho é semelhante ao realizado por outras coordenadorias, como de Juventude, Diversidade, Mulheres, Nordestinos, entre outras.

Segundo a campanha de Serra, "a função do pastor Alcides Cantóia é atender às demandas de ações e eventos dirigidos ao segmento dos evangélicos".

Questionada se considera legítima a negociação de benefícios em troca de apoio, a campanha nega que haja "negociação".

"Não se trata de uma negociação, mas de uma ação de atendimento a segmentos específicos"
, diz a assessoria.

No e-mail, a assessoria também afirma que Serra "tem reiterado em diversas ocasiões sua intenção de promover parcerias com todas as entidades e instituições religiosas e filantrópicas, em diversas áreas da gestão pública, como a saúde."

Fonte: www.adalagoas.com.br


Cinco Pessoas são mortas e outras 12 ficam feridas em Chacina na Baixada - Rio de Janeiro


O Rio de Janeiro viveu mais uma noite de terror imposta por criminosos, com as mortes a tiros de pelo menos cinco pessoas e ferimentos em outras dez na Baixada Fluminense. O massacre ocorreu no bairro do Éden, em São João de Meriti, por volta das 19h30. Bandidos que ocupavam dois carros desceram e dispararam a esmo contra um grupo de moradores que faziam um churrasco na Rua Cruz da Sé.

Entre as vítimas da barbárie, os cinco mortos foram identificados como Rozilene Nacimento de Oliveira, de 37 anos; Tiago da Silva Santos, 25; Walace Oliveira de Jesus, 16; Felipe Consentino, 19; e Marcos Otávio Barbosa, 16, que seria filho da mulher que comemorava o aniversário com familiares e amigos.

Outros cinco baleados, que foram levados para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, foram identificados no final na noite. São eles Alexandre Martins, 34 anos; Denílson da Ressureição, 25; Pedro Souza, 28; Marlon Cleyson, 21; e Renato do Nascimento, 26. Gilson Alves de Lima, 42 anos, foi levado em estado grave para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias.

O ataque provocou pânico e correria pelas ruas do bairro. Segundo a polícia, que investiga a autoria dos crimes e as causas, o número de mortos pode aumentar, já que algumas vítimas estão em estado grave.

De acordo com testemunhas, os bandidos chegaram ao local em dois carros, uma Saveiro e uma Highlux. O bando estava fortemente armado, com fuzis e pistolas e disparou contra os moradores. “Foi um horror. Nossa comunidade vivia em paz e passou a sofrer com ataques de criminosos depois que as UPPs foram implantadas nas favelas. Parece que os bandidos vieram para cá”, afirmou o metalúrgico Antonio de Oliveira, 44 anos, tio de uma das vítimas, Rozilene.

Comandante do 21º BPM, tenente-coronel Jorge Freitas descartou que a chacina tenha sido promovida por milícia que atua na área, hipótese que chegou a ser aventada. Para ele, o ataque pode ter sido por motivo passional. O caso foi registrado na delegacia da 64ª DP (São João de Meriti).

Fonte: http://www.odia.com.br/
O que está acontecendo com a Cidade Maravilhosa?

domingo, 24 de outubro de 2010

Vampiros de Almas Coletivas


Desistir do bem é algo muito fácil neste mundo. Os salmos 37 e 73 nos mostram o processo. Quando quem lidera ou tem poder faz o que é mal, os demais perdem o ânimo. Então, o justo, na modéstia de seus passos, vai perdendo o alento. E, aquele que caminha sem tanta convicção, passa a invejar aquele que faz, faz, faz e nunca é punido; antes, é honrado.

A leitura do livro do Eclesiastes é mais que útil em dias como estes!

Quando o status do cinismo prevalece, as reações são muitas; e sutis. Desde o cinismo que se instala como câncer, à inveja que o ser bom passa a ter do mal-feitor — tudo corre como as torrentes de águas destruidoras.

E o mal se torna tanto pior quanto mais se fale como cordeiro e se haja como o lobo. Daí a perversão do “ético” ser enormemente pior do que a do corrupto; pois destrói todas as referencias. No linguajar bíblico: “... remove os marcos”.

Isto sem falar nas vozes que olham para os céus e pensam que Deus enlouqueceu com a loucura dos malfeitores; ou que Deus mesmo não se preocupa com tais coisas.

“De que me serve Deus?” — pergunta a alma cansada.

Frequentemente tem-se que escolher entre poderes. E, nesse caso, a eleição para tal escolha deve contemplar, sobretudo, o fortalecimento daquilo que não abisma a alma nacional em estado de cinismo crônico.

E isto vai de atitudes pequenas, no âmbito de nossas vidas pessoais, passa pela “igreja” e vai até o Estado.

De onde vem o ânimo para a honestidade quando os que nos lideram mentem e enganam?

O argumento de que "rouba mais faz", aplicado ao Maluf, agora é algo que se aplica em geral. Até em relação ao Lula e Bolsa-Família-no-Bolso. Pode? Até quando?

Eleger um programa de governo para votar, é sábio. Mas não se pode fazer isto à custa da instalação do cinismo na alma nacional. Do contrário, os pobres comerão, mas será comida envenenada pelo sarcasmo. E o pão de hoje será o veneno de amanhã.

Portanto, nem só de pão vive o homem, mas, sobretudo, de dignidade, confiança, respeito, e honestidade.

Entretanto, quem divulga tais causas, não pode brincar de fazê-las menores; e nem tampouco pode fazer como o Conde fez nas disputas com o César Maia há uns quatro anos, quando disse: “Eu minto; mas o César mente mais que eu!”.

Não se governa fazendo avaliação de menos roubo!

O programa Bolsa Família não pode ser Família no Bolso! — o Lula repudiaria isto se o programa não fosse parte de sua estratégia política. E eu sei o que estou falando; e baseado em horas e horas de conversa com ele mesmo no passado.

Sim! O Lula que eu conheci não votaria em si mesmo hoje! — é simples assim.

Isto era contra tudo o que as mentes historicamente mais lúcidas lutavam — até virar populismo eleitoral em favor deles.

Ah! Eu teria centenas de histórias e argumentos, mas, cansado de muitas “viagens”, apenas ouso dizer: “Que o Senhor nos salve de alimentarmos milhares de famílias, enquanto lhes roubamos as almas e a consciência!”.

Assim como o pão e a Palavra alimentam o homem, do mesmo modo o pão e a dignidade também o fazem!

Enquanto isto... Recolher-me-ei; e buscarei agir pelo não-agir. Quieto. Em oração. Afinal, eu creio que Deus é Deus; e que sobre tudo e todos reina; e que o que sinto é somente o que sinto; e nada, além disso.

Todas as nossas causas e clamores estão diante do Trono da Graça!

Cada um com sua própria consciência e discernimento. Mas Deus é um!

O que não podemos é deixar de discernir o que para nós é vampiro de sangue coletivo. Pois, em trocando beijos com tais entes, nós mesmos passaremos a detestar o nascer do dia, do sol e da luz — visto que nosso ambiente será a penumbra da quase-luz e da quase-treva.

Com todo carinho, reverência e oração por quem pensa e sente diferente,

Autor: Caio Fabio

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Homem se casa com noiva arranjada e outra por amor em 24 h


Haidri posa com Rumana Aslam (esq.), por quem é apaixonado, e Humaira Qasim, sua noiva desde criança Foto: EFE


Multan (Paquistão) - Um homem da cidade de Multan, no Paquistão, encontrou uma solução para seu dilema sobre aceitar um casamento arranjado pela família ou casar-se por amor. Azhar Haidri, 23 anos, oficializou sua união com as duas mulheres envolvidas - e fez tudo em 24 horas.

Inicialmente, Haidri havia se recusado a casar com Humaira Qasim, 28 anos, de quem era noivo desde a infância. O homem queria pedir em casamento a mão de Rumana Aslam, 21 anos, por quem estava apaixonado.

No entanto, a decisão de romper o noivado ameaçou prejudicar a família de Azhar Haidri, já que os matrimônios arranjados fazem parte do costume da população. "Eu disse que pediria as duas em casamento", disse Haidri antes de seu primeiro casamento, com Qasim, no domingo. "As duas concordaram", afirmou.

Azhar Haidri oficializou sua união com Aslam na segunda-feira, menos de um dia depois de ter se casado com a outra noiva. A história do paquistanês chamou a atenção da imprensa do país - algumas rádios e canais de TV locais planejavam cobrir ao vivo o segundo matrimônio de Haidri.

As duas mulheres disseram que gostaram do casamento, e que planejam viver como amigas ou irmãs. "Estou feliz que nós duas amamos o mesmo homem", disse Rumana Aslam.

Haidri se considera sortudo. "É muito raro que duas mulheres fiquem felizes ao concordarem em se casar com o mesmo homem", afirmou.

A lei paquistanesa aceita a poligamia com base no conceito de que o Islã, a religião principal do país, permite até quatro esposas. Entretanto, os homens que têm várias mulheres geralmente esperam alguns anos para se casar novamente - e devem obter a aprovação de sua primeira mulher antes de um segundo matrimônio.

Fonte: http://www.odia.com.br/



Se essa onda pega heim!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Pastor Silas Malafaia: A Verdade Sobre o 2º Turno das Eleições 2010 (Parte 2)

Bispo Edir Macedo chama Pastor Silas Malafaia de Profeta Velho


A principal característica do profeta velho é o engano.

Em I Reis 13, encontramos um homem de Deus sendo enganado por aquele que deveria orientá-lo, falar a verdade e guiá-lo no caminho certo.

Temos visto nos últimos dias uma verdadeira demonstração de que o espírito do profeta velho continua atuando e tentando levar as pessoas ao engano.

Veja o que aconteceu com o pastor Silas Malafaia, que iniciou a campanha política apoiando a candidata Marina Silva e depois, usando o argumento frágil de que o partido dela, o PV, apoiava o aborto, mudou de lado e, para justificar que não apoiaria a candidata Dilma, acusou o PT de ser a favor do aborto e apoiar o casamento de homossexuais. Pronto, o caminho estava aberto para, sabe-se lá com que interesse, apoiar o candidato Serra.

Como não há nada escondido que não seja revelado, veio a declaração do próprio Serra, em vários meios de comunicação, de que é favorável ao casamento de homossexuais. E não para por aí não. Explodiu como uma bomba a denúncia de algumas ex-alunas da esposa do candidato, Monica Serra, que ficaram indignadas com a hipocrisia do casal de que, como cristãos, são radicalmente contra o aborto. Inclusive, a Sra. Monica chegou a dizer que se Dilma vencesse, ela iria matar as criancinhas.

Revoltadas, as alunas disseram que em uma aula, muito tempo atrás, a Sra. Monica declarou que havia feito aborto, com o consentimento de seu marido José Serra.

Agora ficam as perguntas: O que fez o pastor Malafaia mudar de lado? Ele vai continuar apoiando o Serra?

Diante desse cenário temos que lembrar o que aconteceu com o homem de Deus (I Reis 13) que seguia o seu caminho e foi levado à morte, enganado pelo profeta velho, porque não guardou a sua fé.

Fonte: http://www.bispomacedo.com.br/

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Marina e PV liberam eleitores no 2º Turno


Após convenção do partido, a duas semanas do pleito, verde decide não apoiar nenhum dos dois candidatos à Presidência


Rio - Terceira colocada na eleição presidencial, com quase 20 milhões de votos, a candidata Marina Silva (PV) decidiu ontem que vai manter o que classificou de “posição independente” no segundo turno. Em convenção do partido realizada ontem, em São Paulo, Marina leu uma carta aberta aos dois presidenciáveis, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), em que elogia a convivência política que manteve com eles. O Partido Verde vai acompanhar a posição tomada por Marina.

Marina criticou a “dualidade que existe na política desde a monarquia”, e definiu seu posicionamento como a melhor forma de ajudar o povo brasileiro.

“O fato de não ter optado por nenhum lado não mostra neutralidade”, disse Marina. “Me sinto muito feliz, aos 52 anos, de ter uma posição de independência e utopia”, definiu, dizendo ainda que o PT e o PSDB se deixaram capturar pela lógica do embate na disputa política nacional.

A plenária do PV votou e apoiou a posição de Marina Silva. Das 92 pessoas habilitadas a votar na convenção do partido, quatro se manifestaram a favor de que o partido apoiasse alguma candidatura no segundo turno das eleições. A convenção durou três horas e nenhum partidário do PV defendeu abertamente a posição de apoio a um dos dois candidatos do PT ou PSDB.

Os quatro votos favoráveis foram o do secretário municipal do PV da Prefeitura de São Paulo, Eduardo Jorge, da presidente estadual do PV no Espírito Santo, Sidnéia Fontana, do secretário municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da Prefeitura de São Paulo, Marcos Belizário, e um militante do partido que não foi identificado.

Com a decisão, os militantes que decidirem manifestar apoio à petista Dilma Rousseff ou ou ao tucano José Serra não poderão utilizar símbolos do PV ou falar em nome do partido. Dirigentes e diretórios nacionais e estaduais do PV estão proibidos de declarar o voto nas eleições ou se manifestar a favor ou contra algum candidato.

Gabeira, no entanto, que já declarou seu apoio a José Serra, pode fazê-lo porque não é dirigente do partido, assim como outros membros que não ocupem posição de liderança, casos de Gilberto Gil e Zequinha Sarney.

No Rio, onde Marina Silva teve um de seus melhores desempenhos na eleição, vários artistas e intelectuais já decidiram em quem vão votar no segundo turno. É o caso da atriz Betty Lago, que vai votar em José Serra, e o músico e produtor cultural Nano Ribeiro, eleitor de Marina no primeiro turno, e que agora escolheu Dilma.

Eleitores de Marina eram de grupos bem distintos

Segundo o cientista político e sociólogo Antonio Lavareda, a decisão de Marina Silva e do Partido Verde não terá impacto imediato no eleitorado, que deverá ser conquistado na reta final do segundo turno.

“A posição da Marina e do partido não afeta intenções de voto nesse momento. É provável que o contingente do eleitorado dela siga o caminho da pesquisa em que José Serra tomava uma dianteira sobre os votos da Marina”, aposta ele, referindo-se à pesquisa feita pelo Datafolha a pedido da Folha de S. Paulo e da TV Globo há uma semana.

De acordo com os dados, o candidato do PSDB herda 51% dos quase 20 milhões de votos obtidos por Marina. “Havia 20 % de eleitores dela indecisos, e eles, a partir de agora, interessam diretamente ao Serra, que se conseguir conquistá-los, ficará empatado com a Dilma Rousseff (PT)”, diz Antonio.

Para o diretor-executivo do Vox Populi, João Francisco Meira, é difícil que o eleitor de Marina se comporte de ‘maneira homogênea’ na hora de votar. “Os eleitores dela eram divididos em dois grupos bem distintos: os que acompanhavam sua agenda verde e outro, formado por um eleitor mais conservador, politizado, sensibilizado por questões como a corrupção e o aborto. Esse último, cerca de 40% devem apoiar o Serra, e o primeiro grupo, a maioria, deve votar na Dilma”, analisa João Francisco.

domingo, 17 de outubro de 2010

Pastores José Wellington e Silas Malafaia na propaganda eleitoral de José Serra

Entre os mineiros resgatados no Chile, um pastor evangélico


Minerador diz que "O Pastor" foi fundamental para que ficassem unidos

O mineiro José Henríquez González, 54 anos, mestre de perfuração, foi o 24º dos 33 soterrados desde o dia 5 de agosto a deixar a mina San José, no Chile. Pastor evangélico, ele era considerado o guia espiritual do grupo e teve o papel de manter o clima positivo. Ele trabalha em minas há 33 anos.

Richard Villarroel, um dos mineradores resgatados da jazida San José, no norte do Chile, afirmou hoje que seu companheiro José Henríquez, "O Pastor", foi o homem-chave para que se mantivessem unidos.

"Foi o homem-chave que tivemos para nos unir todos os dias", disse Villarroel, de 26 anos, que tinha mentido para sua mãe dizendo que trabalhava como comerciante.

O minerador afirmou que "O Pastor" sempre tinha uma palavra de incentivo para que levantassem "o ânimo".

Villarroel, que se tornou o 28º trabalhador a ser resgatado, após seu companheiro, o ex-jogador Franklin Lobos, assegurou que o pior momento que viveram no interior da mina foi quando aconteceu o segundo desmoronamento. Foi o "grande susto" gerado entre todos, enfatizou.

Fonte: www.adalagoas.com.br

Esposa de Serra contou ter feito aborto, diz ex-aluna


São Paulo - O jornal Folha de S.Paulo publica neste sábado reportagem intitulada "Monica Serra contou ter feito aborto, diz ex aluna." O texto assinado pela colunista Monica Bergamo ocupa a metade inferior da página 10. A ex-aluna é Sheila Canevacci Ribeiro, de 37 anos, que teve Monica Serra como professora de dança na Universidade de Campinas (Unicamp).

A reportagem de Monica Bergamo descreve, a princípio, frases que Sheila postou em seu Facebook um dia depois do debate na TV Bandeirantes. Na segunda-feira, 11, Sheila dizia em seu perfil no Facebook que escrevia para "deixar minha indignação pelo posicionamento escorregadio de José Serra" em relação ao tema aborto.

Sheila escreveu, relata a Folha de S.Paulo, que Serra não respeitava "tantas mulheres começando pela sua própria mulher. Sim, Mônica Serra já fez um aborto", relatou a ex-aluna em texto republicado por sites e blogs ao longo da semana e que agora teve sua veracidade de autoria confirmada pela Folha.

A colunista Monica Bergamo relata ter conversado não apenas com Sheila, mas também com outra das ex-alunas de Mônica Serra que ouviram o relato da então professora sobre o aborto. À Folha, está dito na reportagem, "a bailarina diz que confirma 'cem por cento' tudo que escreveu" em seu Faceboook.

À colunista Monica Bergamo, Sheila confirmou um dos principais trechos escritos em seu Facebook. Nele, a ex-aluna de Monica Serra desabafa:

"Com todo respeito que devo a essa minha professora, gostaria de revelar publicamente que muitas de nossas aulas foram regadas a discussões sobre seu aborto traumático".

Em seguida, indagou a ex-aluna de Monica Serra em seu Faceboook e reproduziu a Folha: "Devemos prender Monica Serra caso seu marido fosse (sic) eleito presidente?".

A reportagem da Folha de S.Paulo tem, logo ao lado direito do texto, uma reprodução de santinhos que o candidato José Serra tem distribuído para eleitores. Com a foto do tucano, o santinho é encimado pela citação "Jesus é a verdade e a justiça".

A Folha localizou em Brasília uma colega de classe de Sheila, ela também ex-aluna da esposa do candidato tucano. Professora de dança na capital federal, informa Monica Bergamo, essa segunda ex-aluna concordou em falar sob a condição do anonimato.

A colega de Sheila contou que, nas aulas, as alunas se sentavam em círculos, criando uma situação de intimidade. Enquanto fazia gestos de dança, Monica Serra explicava como marcas e traumas da vida alteram movimentos do corpo e se refletem na vida cotidiana.

Segundo a ex-estudante, "as pessoas compartilhavam suas histórias, algo comum em uma aula de psicologia. Nesse contexto, afirmou, Monica (Serra) compartilhou sua história com o grupo de alunas. Disse ter feito o aborto por causa da ditadura", informa a Folha.

Ainda de acordo com a ex-aluna, Monica disse que o futuro dela e do marido, José Serra, era muito incerto. Quando engravidou, teria relatado Monica à então aluna, o casal se viu numa situação muito vulnerável.

Depois do golpe militar no Brasil, Serra se mudou para o Chile, onde conheceu a mulher, Veronica. Em 1973, com o golpe que derrubou Luis Allende e levou o general Augusto Pinochet ao poder, Serra e Monica mudaram-se para os Estados Unidos.

Sheila faz questão de manifestar qual é a essência da sua decisão ao falar: "Ela (Monica Serra) não confessou. Ela contou. Não sou uma pessoa denunciando coisas. Mas (ela é) uma pessoa pública, que fala em público que é contra o aborto, é errado. Ela tem uma responsabilidade ética."

A Folha traz ainda, em meio ao material, um ligeiro perfil de Sheila Canevacci Ribeiro. Revela que Sheila diz ter votado em Plínio de Arruda Sampaio e que declara voto em Dilma no segundo turno, ainda que não pretenda votar por conta de uma viagem para o Líbano já marcada.

No perfil que traça de Sheila, a Folha mostra, por outro lado, as ligações da família da ex-aluna de Monica Serra com o PSDB.

Sheila é filha da socióloga Majô Ribeiro, ex-aluna de Eva Blay no mestrado da USP. Eva Blay, foi suplente de Fernando Henrique Cardoso no Senado. Majô, mãe de Sheila, foi ainda pesquisadora do Núcleo de Estudos da Mulher e Relações Sociais da USP, fundado pela ex-primeira dama Ruth Cardoso (1930-2008).

Militante feminista, Majô, a mãe de Sheila, foi candidata derrotada a vereadora e a vice-prefeita em Osasco. Pelo PSDB.

À Folha a socióloga disse estar "preocupada" com a filha, mas afirma - é o relato no jornal - que a criou para "ser uma mulher livre" e que ela "agiu como cidadã".

Sheila é casada com o antropólogo italiano Massimo Canevacci, que foi professor de antropologia cultural na Universidade La Sapienza, em Roma, e hoje dirige pesquisas no Brasil.

A Folha informa ainda que a assessoria de Monica Serra não respondeu aos questionamentos feitos pelo jornal "a respeito do relato de suas ex-alunas".

Diz ainda que o jornal procurou Monica Serra pela primeira vez na manhã de anteontem (A quinta-feira, 14): "Segundo sua assessoria, ela havia viajado para o Chile e não seria possível localizá-la naquele momento".

Por fim, conta colunista Monica Bergamo, "entre quinta-feira e ontem (sexta-feira, 15) a reportagem telefonou seis vezes e enviou cinco e-mails para a assessoria". Recebeu uma mensagem com a seguinte afirmação: "Não há como responder".


Leia o que Sheila Ribeiro escreveu em seu Facebook na íntegra

RESPEITEMOS A DOR DE MÔNICA SERRA

Meu nome é Sheila Ribeiro e trabalho como artista no Brasil. Sou bailarina e ex-estudante da Unicamp onde fui aluna de Mônica Serra.

Aqui venho deixar a minha indignação no posicionamento escorregadio de José Serra, que no debate de ontem, fazia perguntas com o intuito de fazer sua campanha na réplica, não dialogando em nenhum momento com a candidata Dilma Roussef.

Achei impressionante que o candidato Serra EVITA tocar no assunto da DESCRIMINALIZAÇÃO do aborto, evitando assim falar de saúde pública e de respeitar tantas mulheres, começando pela SUA PRÓPRIA MULHER. Sim, Mônica Serra já fez um aborto e sou solidária a sua dor.

Com todo respeito que devo a essa minha professora gostaria de revelar publicamente que muitas de nossas aulas foram regadas a discussões sobre o aborto, sobre o seu aborto traumático. Mônica Serra fez um aborto. Na época da ditadura, grávida de 4 meses, Mônica Serra decidiu abortar, pois seu marido estava exilado e todos vivíamos uma situação instável. Aqui está a prova de que o aborto é uma situação terrível, triste, para a mulher e para o casal, e por isso não deve ser crime, pois tantas são as situações complexas que levam uma mulher a passar por essa situação difícil. Ninguém gosta de fazer um aborto, assim como o casal Serra imagino não ter gostado. A educação sobre a contracepção deve ser máxima para que evitemos essa dor para a mulher e para o estado.

Assim, repito a pergunta corajosa de minha presidente, Dilma Roussef, que enfrenta a saúde pública cara a cara com ela: se uma mulher chega em um hospital doente, por ter feito um aborto clandestino, o estado vai cuidar de sua saúde ou vai mandar prendê-la?

Nesse sentido, devemos prender Mônica Serra caso seu marido fosse eleito presidente?

Pelo Brasil solidário e transparente que quero, sem ameaças, sem desmerecimento da fala do outro, com diálogo e pelo respeito a dor calada de Mônica Serra.

Fonte: www.odia.com.br

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O Pacote de Biscoitos


Vamos ler com calma esta ilustração e aprender uma lição para o resto de nossas vidas.

Uma jovem estava na sala de embarque de um grande aeroporto internacional. E, um fato comum atualmente, o seu vôo atrasou. Como deveria esperar várias horas dirigiu-se até uma livraria e comprou um livro para ler. Também passou em outra loja e comprou um saco com um biscoito que ela amava desde criança.

Encaminhou até a sala vip da companhia aérea e sentou-se numa poltrona para poder ler em paz.

Ao seu lado sentou um senhor muito bem vestido e começou a ler um jornal.

Passou-se um tempo e, ao ver que o pacote de biscoitos estava no banco entre ela e o senhor, resolveu pegar um biscoito para comer.

Mas qual foi sua surpresa ao ver que quando pegou um biscoito aquele senhor tabém pegou um!

“Que atrevido!” – pensou ela – “Se estivesse com disposição para briga, daria um bom soco no seu olho para que ele nunca mais esquecesse desse atrevimento!"

Mas a cada biscoito que ela pegava, ele também pegava um. Impassível, nem reagia a ela. Aquilo foi deixando-a cada vez mais indignada mas ela não conseguia reagir. Afinal de contas ela não queria um escândalo naquele local.

Enfim, restava apenas um único biscoito. “Ah… o que esse sem-vergonha vai fazer agora?". Então, ao perceber que só havia um biscoito, o homem pegou o biscoito e partiu ao meio e pegou uma metade e deixou a outra para ela.

Ah! Aquilo já era demais! “Ele passou da conta!” – Bufando de raiva ela levantou-se da poltrona, guardou o livro, pegou sua bagagem e foi até o embarque. Com o canto do olho ela pode perceber que aquele senhor estava olhando para ela sem entender nada!

Ao embarcar no avião, sentou-se confortavelmente em sua poltrona, abriu sua bolsa a fim de procurar seus óculos de sol e, de repente, uma grande surpresa! Seu saco de biscoitos estava ali, intacto!

Sentiu uma imensa vergonha… afinal de contas quem estava errada ali era ela! Esqueceu que ao comprar os biscoitos ela os guardou em sua bolsa. Aquele senhor dividiu os biscoitos com ela sem reclamar, e nem se sentiu indignado, nervoso ou revoltado. Mas ela, na verdade, tinha ficado transtornada pensando que estava dividindo algo seu com um completo estranho. Ficou pensando em como ela saiu da sala vip e sentiu-se cada vez mais envergonhada… agora era tarde para pedir desculpas ou se justificar.

Existem quatro coisas que não se pode recuperar:

A pedra … depois de atirada!
A palavra… depois de proferida!
A ocasião… depois de perdida!
O tempo … depois de passado!
Pense nisso… e aprenda a viver melhor com o seu semelhante.


Autor: Desconhecido.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Ex- Presidente Fernando Henrique Cardoso elogia Marina silva e diz que Lula virou "Chefe de Facção"


Cartagena (Colômbia) - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse, agora há pouco, em Cartagena, na Colômbia, que o presidente Lula passou a atuar como "um chefe de facção" ao invés de ter uma postura de chefe de nação. Em discurso durante o 15º Meeting (encontro) Internacional do Lide (Grupo de Líderes Internacionais), FHC afirmou que a realização do segundo turno no Brasil é "muito positiva", em especial diante das "pressões" que, segundo ele, o governo federal vinha fazendo.

Para FHC, o eleitorado mostrou que o governo de Lula, apesar de popular, "não pode tudo". Disse que o segundo turno é uma oportunidade de "frear esta arrogância insuportável".

Em seguida, o ex-presidente - que fez a principal conferência do encontro - elogiou Marina Silva, ex-candidata do PV à Presidência. Afirmou ter recebido vários telefonemas de Marina quando ela era ministra do Meio Ambiente de Lula. De acordo FHC, ela pedia sua ajuda em relação ao comportamento do PSDB no Congresso Nacional.

O ex-presidente, afirmou que a questão ambiental no Brasil melhorou graças ao que Marina "fez e vem fazendo". Segundo ele, outra vantagem do segundo turno é que os "candidatos que sobraram" terão que se comprometer com o meio ambiente. Tema que, para FHC, "não pode ser partidarizado".

sábado, 9 de outubro de 2010

Serra defende união homossexual. Hipocrisia? Calhordice?


Quero dizer a todos os visitantes que Serra e Dilma não são meus candidatos. A minha candidata foi derrotada no 1º turno (Marina Silva). Coloco esse texto apenas para informação de todos. Qual dos dois merece ser diabolizado ou abençoado? Leia e depois tire suas próprias conclusões.

Serra defende união homossexual durante a Parada Gay de SP

Governador afirma que projeto que vai propiciar união estável entre pessoas do mesmo sexo "está andando"

Em um encontro com líderes das comunidades homossexuais e com os organizadores da maior manifestação gay do mundo, Serra afirmou que é “propício” à união estável entre pessoas do mesmo sexo e adiantou: “Temos um projeto sobre isso, está realmente andando porque o apoiamos”.

Os ativistas pediram ao político do PSDB um respaldo para que o Senado aprove a lei que tipifica a homofobia como crime e que já foi aprovada em primeira instância pela Câmara dos Deputados.

Alguns senadores fazem objeções aos artigos que proíbem pastores, sacerdotes e líderes religiosos a condenar o homossexualismo em programas de rádio e televisão, além da normativa judicial contra a discriminação homossexual em manifestações públicas.

A organização do evento previa a participação de 3,5 milhões de pessoas, mas fontes da Polícia Militar (PM) indicaram extraoficialmente que o número chegou a cerca de três milhões de pessoas.

A caminhada começou na Avenida Paulista em frente ao Museu de Artes de São Paulo (Masp) e terminou na praça Roosevelt com um ato que terminou oito horas depois do grande desfile, o qual contou com 20 trios elétricos e milhares de pessoas, em sua maioria disfarçadas.

A parada necessitou de resguardo terrestre e aéreo de 1.200 policiais, 900 banheiros públicos, 140 postos de primeiros socorros e 16 ambulâncias.

A cidade recebeu no fim de semana cerca de 400 mil turistas, 5% deles estrangeiros, e que deixaram para os cofres do setor cerca de R$ 200 milhões, segundo dados da SPTuris.

O tema da edição deste ano foi “Sem Homofobia, Mais Cidadania Pela Isonomia dos Direitos!” e homenageou os 30 anos do movimento homossexual no Brasil, que já ganhou o reconhecimento patrimonial e direitos de previdência social para cônjuges do mesmo sexo, entre outras reivindicações.

Fonte: http://www.conversaafiada.com.br/

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A Parábola dos Trabalhadores na Vinha


"Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu de madrugada a assalariar trabalhadores para a sua vinha. E, ajustando com os trabalhadores a um dinheiro por dia, mandou-os para a sua vinha. E, saindo perto da hora terceira, viu outros que estavam ociosos na praça,E disse-lhes: Ide vós também para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram.Saindo outra vez, perto da hora sexta e nona, fez o mesmo. E, saindo perto da hora undécima, encontrou outros que estavam ociosos, e perguntou-lhes: Por que estais ociosos todo o dia? Disseram-lhe eles: Porque ninguém nos assalariou. Diz-lhes ele: Ide vós também para a vinha, e recebereis o que for justo. E, aproximando-se a noite, diz o senhor da vinha ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes o jornal, começando pelos derradeiros, até aos primeiros. E, chegando os que tinham ido perto da hora undécima, receberam um dinheiro cada um. Vindo, porém, os primeiros, cuidaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam um dinheiro cada um. E, recebendo-o, murmuravam contra o pai de família, Dizendo: Estes derradeiros trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia. Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço agravo; não ajustaste tu comigo um dinheiro? Toma o que é teu, e retira-te; eu quero dar a este derradeiro tanto como a ti. Ou não me é lícito fazer o que quiser do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? Assim os derradeiros serão primeiros, e os primeiros derradeiros; porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos". (Mt 20.1-16)

A leitura do Evangelho nos deixa ver que onde Jesus passava, tanto se manifestava a bondade e a fé dos pequeninos e simples de coração para crer como também se manifestava a maldade da virtude dos seres movidos a justiça própria, posto que a Graça é tão injusta aos olhos da justiça própria, que é impossível a alguém tomado pela idéia da auto-virtude conceber que algo tão “injusto e escandaloso” como a Graça de Deus possa ser justiça.

É estranho, mas é a justiça própria aquilo que mais gera maldade no coração humano!

Os que andam em justiça própria não podem agradar a Deus, posto que aquilo que Deus chama de bondade e misericórdia eles chamam de injustiça e auxílio à perversão.

É a partir da justiça própria que a inveja também nasce com força descomunal e com tendência psicológica homicida. Não necessariamente gera assassinos, mas infalivelmente produz milhões de juízes togados que são sem misericórdia nas sentenças que proferem.

Toda inveja carrega uma carga homicida, posto que o invejoso quer o lugar do outro, o que é do outro, ou até ser o outro — ora, tudo isso implica em que o outro deixe de ser ou que então mergulhe no vazio.

Ora, todo aquele que ao ver Deus ser gracioso e exagerado em Seu amor para com outro ser humano, ao invés de se alegrar, se ira e discorda de Deus, e odeia o que recebeu a dádiva e a ele se compara, e julga Deus injusto por havê-los igualado — este jamais conheceu a Graça de Deus, posto que a primeira coisa que um ser humano que encontrou Graça, de fato, descobre, é a sua total condição de desgraçado em-si-mesmo. “Desventurado homem que sou!” — grita ele. Portanto, ele jamais verá injustiça na Graça de Deus, pois ele mesmo se considera o maior beneficiado por tamanha santa injustiça que justifica injustos pela justiça de um único justo, de tal modo que o injusto se torna justo — não porque tenha feito qualquer coisa que assim o tornasse justo, mas apenas porque creu que a justiça do Único justo pode ser a justiça de nós todos. E ele se alegra que assim seja; do contrário, ele sabe que estaria perdido. Ele sabe que isso é loucura para a consciência humana cheia de autojustificação, e sabe que é total escândalo para aqueles que crêem que são justos em-si-mesmos. Ele mesmo, porém, a ninguém julga, exceto a si mesmo, pois se julgar a alguém, na mesma hora a si mesmo se condena.

De modo semelhante, na parábola do filho prodigo, o filho mais velho, que tinha trabalhado fielmente para seu pai “durante todos esses anos”, e que nem uma vez desobedeceu às ordens de seu pai ( como os zelotas e os fariseus ), fica indignado quando ouve dizer que o pai mandou matar o novilho gordo e está preparando uma festa para seu irmão pecador. O filho mais velho não participa da compaixão que o pai sente pelo filho perdido. Por isso ele sente que seu pai está sendo injusto.

Cuidado para que você não odeie Deus, o “dono da vinha”, pela Sua soberania de ser bom para quem desejar e como bem entender, dando a qualquer um o que é Dele, e não devendo explicações a ninguém por assim fazer com o que é Dele. Isso tornaria você um perverso aos olhos de Deus. Salve-se desse terrível mal. Ame a bondade de Deus.

domingo, 3 de outubro de 2010

Minha Agenda em Outubro/2010



Dia: 03
Evento: Santa Ceia
Local: Assembleia de Deus - Ministério Eu Creio
Pastor Presidente: Flavio Constantino

Endereço: Rua Raimundo Correia , 17 , Jardim Olavo Bilac - Duque de Caxias - RJ
Horário: 18:00 hs


Dia: 29
Evento: Congresso de Mulheres
Local: Assembleia de Deus - Habitantes de Sião
Pastor Presidente: Manoel Feitosa
Endereço: Estrada Velha da Pavuna,486 - Higienópolis - Rio De Janeiro


Dia: 30
Evento: III Encontro de Casais
Local: Assembleia de Deus - Ministério Eu Creio
Pastor Presidente: Flavio Constantino
Endereço: Rua Raimundo Correia - 17 - Jardim Olavo Bilac - Duque de Caxias - RJ



Contatos e convites ligue para:

(21) 7811-5010
Id 55* 81* 22042
E-mail: pr_flavioconstantino@hotmail.com

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Crescem os crentes, aumentam os problemas


Algo vem me intrigando sobre a realidade brasileira: o rápido crescimento do protestantismo não tem sido acompanhado de redução dos problemas sociais, políticos, econômicos, morais. Algo deve estar errado... O cristianismo evangélico não apenas conduz a um encontro pessoal com Jesus Cristo, único Senhor e Salvador, chamado de conversão ou novo nascimento, mas também, integra o convertido a uma comunidade de fé, onde deve crescer à imagem de Cristo em santidade, temperamento, caráter, valores e propósitos, e é enviado ao mundo como missionário.

O cristão deve ser sal e luz, ser diferente, reconstruir a cultura. Ser sal e luz implica participação: família, empresa, comunidade, associações, Estado, promovendo o reino de Deus. Ser diferente é fazer diferença, contra os sinais sociais do pecado e do principado das trevas: porfia, injustiça, desonestidade, mentira, opressão. Em obediência ao seu mandato de reconstrutor da cultura, até o Dia Final, o cristão responde com misericórdia à dor humana e denuncia profeticamente as estruturas do mal. Um cristianismo genuíno conduz a uma equação direta: quanto maior for o crescimento do número de cristãos em um país, menores serão os seus índices de problemas. Caso contrário, há algo errado, parcial, ou distorcido no conhecimento bíblico, no discernimento pelo Espírito Santo, no aprendizado histórico, no sentido de vida, nos desdobramentos éticos, que incluem o exercício responsável da cidadania.

Uma salvação apenas para o outro mundo e o fim do mundo, para a alma isolada no templo — curtindo a vida privada, batalhando com os anjos, buscando prosperidade, insensível, irresponsável — mostra que não houve salvação, doutrinação ou santificação. A Igreja não cresceu; inchou, imersa em sua superficialidade e inutilidade. Combatem-se os vícios individuais, mas não se combatem os vícios sociais.

As igrejas neopentecostais sofrem da “síndrome de Adão”: sem umbigo, não têm passado ou referência histórica. Sem passado não há lição acumulada, nem há futuro, apenas o ativismo sincrético e pragmático do presente. As igrejas pentecostais estão lentamente saindo de duas atitudes (que não são intrínsecas ao seu movimento): o isolamento sectário e a irresponsabilidade política — o contrário era considerado “mundanismo”. Com limitado interesse pela teologia política, pela história política e pela ética social, adentram o cenário político sem maior preparo e sem propostas.

Reduziu-se o político ao eleitoral, com candidaturas oficiais corporativistas e clientelistas, com a arrogância teocrática de que fomos chamados para “ser cabeça e não cauda”. Os escândalos se sucedem e, no lugar do sangue dos mártires, temos os sanguessugas. As igrejas históricas, desde o regime militar, deram as costas ao seu passado de luta pela abolição, pela República, pela separação entre Igreja e Estado, pela justiça social; partilharam, na década de 70, da heresia de que “crente não se mete em política”; retraídas, acomodadas, deram lugar a gerações de alienados, que substituíram a praça pública pela praça da alimentação.

Se continuarmos assim, mesmo se chegarmos a 100% da população, a corrupção política, as desigualdades, a violência e a imoralidade não diminuirão. Não mudaremos se não quisermos mudar. Os tempos não são fáceis (o foram em alguma época?). Há um Império dominando o mundo, impondo uma idéia única, fechando a história, desqualificando as utopias. Há massificação, desinformação, pressão e tentação em direção ao hedonismo — compremos e curtamos que amanhã morreremos —, ao materialismo prático do consumismo, que separa o templo do tempo, o individualismo e o discipulado. Há louvorzões de baixos conteúdos teológicos; sermões de rasos conteúdos bíblicos; showscultos em vez de liturgia; astros em vez de profetas.

Não é fácil: Legislativo com mais prontuários do que currículos; Executivo que trai seu programa; Judiciário politizado. Nós, os protestantes, multidões de “monges civis”, estamos sem saber o que fazer nas próximas eleições, ante uma horda de candidatos, em sua maioria, viciados, pitorescos, despreparados. O que fazer, se nos faltam conteúdo, discernimento e visão? Se somos manipulados pela imprensa, ou iludidos pelos candidatos? Se compramos “gatos por lebres”? Se nos impõem a falsa alternativa entre o candidato que é o lado direito dos banqueiros e o que é o lado esquerdo, o antigo que fala abobrinhas e o pseudo-novo que fala chuchu? Ambos têm o mesmo programa macro-econômico — de Collor, dos Tucanos e dos neopetistas — de agrado do Império e das elites, que dá esmolas em vez de promover a justiça, a dignidade e o desenvolvimento (e há irmãos nossos defendendo os seus cargos, e outros a fim de entrar...). Há, porém, outras candidaturas, que conscientizam e propõem alternativas. Em uma destas é que vai o meu voto!

Autor: Bispo Robinson Cavalcanti
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...