sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011 !!!!!!


QUE DEUS POSSA NOS GUIAR NESSE NOVO ANO.

Depois da meia-noite, virá o Ano Novo...

O engraçado é que teoricamente continua tudo igual...

Ainda seremos os mesmos.

Ainda teremos os mesmos amigos.

As mesmas dívidas (emocionais e/ou financeiras).

Ainda seremos fruto das escolhas que fizemos durante a vida.

Ainda seremos as mesmas pessoas que fomos este ano...

A diferença, a sutil diferença, é que quando o relógio nos avisar que é meia-noite do dia 31 de dezembro de 2010, teremos um ano INTEIRO pela frente!

Um ano novinho em folha!

Como uma página de papel em branco, esperando pelo que iremos escrever.

Um ano para começarmos o que ainda não tivemos força de vontade, coragem ou fé...

Um ano para perdoarmos um erro, um ano para sermos perdoados dos nossos...

365 dias para fazermos o que quisermos...

Sempre há uma escolha..

E, exatamente por isso, eu desejo que vocês façam as melhores escolhas que puderem.

Desejo que sorriam o máximo que puderem.

Cantem e tenham atitudes que agradam ao Senhor Deus .

Amem mais. Abracem bem apertado.

Agradeçam por estarem vivos e terem sempre mais uma chance para recomeçar.

Espero que 2011 seja um ano bem mais feliz, amoroso e próspero para todos.

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS AQUELES QUE DIRETA OU INDIRETAMENTE PARTICIPARAM DESSE SINGELO BLOG.

A ESPERANÇA QUE RENASCE TRAZ CONSIGO A SEGUINTE MENSAGEM: "2011 SERÁ O ANO DA VIRADA "

sábado, 25 de dezembro de 2010

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

O Pedro nasceu - Feliz natal!!!!


Para nossa alegria nasceu no dia do aniversário de minha esposa 21/12 às 22:40hs o pequeno Pedro. O meu primeiro sobrinho filho de Flaviana Constantino (minha irmã) e Wedner Chagas. Nasceu com 3,110Kg e 49,5 cm. Dizem as boas línguas que ele parece comigo, rsrsrsrs.

Esse sim foi um grande presente de natal para todos nós.

Que Deus possa abençoar essa família

Parabéns aos pais Flaviana Constantino e Wedner Chagas.

Seja bem-vindo Pedro!!!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Imagine Um Natal....


Imagine um Natal que não seja visto apenas pelo lado romântico – emocional.

Imagine um Natal que não seja a própria negação do que o Natal por si e em si significa. Um Natal que não tenha somente papais noéis, comerciais de TV, apelos ao uso excessivo de comida e bebida e imensas árvores de Natal, um Natal que não seja absorvido pelo espírito do comércio e de uma sociedade que vive para forçar a necessidade de consumo.

Imagine você um Natal que não negue a Jesus e nem o veja apenas como uma boa mercadoria, extremamente marketável.

Imagine um Natal não corrompido, não capaz de enfeitar o inenfeitável, de estragar o inestragável, de mediocrizar o inemediocrizável. Um Natal que só sabe ter valor sendo simples, e só sabe ser bonito sendo como é, e só faz sentido sendo singelo.

Imagine um Natal que não tenta conter prédios sobre aquilo que Deus não construiu nada, exceto a misericórdia; UM NATAL que não substitui a alegria por luzes e velas, o amor por presentes, esperança por segurança institucional, e Jesus por Papai Noel.

Imagine um Natal que não tenha as alegrias fugazes de um só momento, mas a alegria que vem de Deus e é resultado de se reagir à notícia a respeito da salvação. A alegria do Natal tem que ser alegria de salvação.

Imagine um Natal que tenha como público – alvo “...todo o povo” (Lc 2.10b). Um Natal que não seja apenas para uns poucos privilegiados que podem comprar peru e caros presentes, pois o público básico do Natal é o povo.

Imagine um Natal que se revista da incrível idéia de encontrar os seus verdadeiros sinais nas pessoas simples e nas coisas simples. “E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em trapos e deitada em manjedoura” (Lc2.12).

Imagine um Natal de sentimentos louváveis, pois no Natal o coração tem que estar cheio de louvor a Deus e a alma absolutamente disposta à reconciliação com os nossos inimigos e semelhantes: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra entre os homens” (Lc 2.16,17).

Imagine um Natal que devolva a vida uma nova atitude existencial: “... voltaram... louvando a Deus pelo que tinham visto e ouvido” (Lc 2.20).

Imagine um Natal com sentimentos diferentes, aspirações novas, alvos e metas louváveis. Um Natal baseado nas palavras bíblicas de Lucas 14.12-14, em que o banquete seja para os excluídos, e os convidados sempre sejam aqueles que não podem nos devolver o favor.

Imagine um Natal de ocasiões propicias para o perdão, de reencontro, aproximação dos diferentes, dos dessemelhantes que conseguem conviver num mesmo espaço existencial.

Imagine um Natal onde os homens e mulheres, no mundo, busquem a paz e a harmonia; onde se preocupem com o desarmamento, desfaçam-se do seu ódio histórico e as marias de trouxas de roupas na cabeça não percam os seus filhos para o tráfico; um Natal sem fatalismo e sem os horrores das novas guerras santas que deliniam um cenário escatológico à nossa frente.

Imagine um Natal de crianças cantando, brincando, correndo e seguras de um futuro abençoado por Deus. Um Natal que começou numa manjedoura com um casal e uma criança sob o foco da luz de Deus.

Desejo este Natal para todos os homens e mulheres, crianças, adolescentes, jovens... todos os que respiram sejam beneficiados por esta data que passou a aproximar os homens do mundo inteiro, mesmo que por um dia.

Que Jesus, a razão única do Natal, nasça em nossos corações.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Os Milagres Numa Perspectiva do Reino

Em uma época de tanta mercantilização da fé, vale a pena assistir essa mensagem que Deus nos deu para ministrarmos à Igreja. Assista os vídeos abaixo:

Parte 01



Parte 02



Parte 03



Parte 04



Parte 05



Parte 06

sábado, 11 de dezembro de 2010

Reino de Deus ou Reino dos Céus?


O novo Testamento registra duas expressões para a mesma realidade: reino de Deus e reino dos céus. Os dois autores de evangelhos, Mateus e Marcos, escrevendo sobre o mesmo fato, no início do ministério de Jesus, usaram uma e outra expressão. Mateus, por exemplo, diz que Jesus começou a pregar: “...é chegado o reino dos céus (Mt 4.17), e Marcos, referindo-se ao mesmo episódio, diz: “...é chegado o reino de Deus” (Mc 1.15). Ambas as expressões aludem a um mesmo Reino que tem Deus como Rei. Posto isto, Reino dos céus e Reino de Deus são sinônimos perfeitos.

Ainda poderíamos apresentar outras passagens paralelas em que Mateus usa a expressão “Reino dos céus” e Marcos e Lucas usam “Reino de Deus”. Mas queremos apresentar uma só passagem em que Jesus tanto usa a expressão “Reino dos céus” como “Reino de Deus”. Isto está em Mateus capítulo 19 versículos 23 e 24: “Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no reino dos céus. E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus”.

Mas existe uma razão, porque Mateus preferia a expressão “reino dos céus” em contraste com todos os outros evangelistas, que usavam “reino de Deus”?

Primeiramente, devemos estar consciente da reverência que um judeu piedoso tinha para com o nome sagrado de Deus, sendo levado, sempre que possível, a substituí-lo por outro termo, dos quais “céu” era o mais frequentemente escolhido. Por isso Mateus, que escreveu para os judeus, fazia sempre esta substituição. Por exemplo, na parábola do filho pródigo, Lucas escreve: “Pai, pequei contra o céu e contra ti...” (Lc 15.21). Por outro lado, Marcos, que escreve para os romanos, vai utilizar a expressão “reino de Deus” ao se referir as mesmas passagens de Mateus.

Contudo, a melhor coisa a saber realmente sobre o Reino de Deus (ou dos céus) é que a boa nova do Reino veio a ser o cerne da pregação de Jesus, dos seus ensinamentos, do seu testemunho. O anúncio do Reino de Deus aos pobres irritou profundamente as elites religiosas de sua época, sendo considerado provocativo pelo Sinédrio, pelos príncipes dos sacerdotes, doutores da lei, escribas e fariseus. E constituiu-se na razão político-religiosa de sua morte na cruz (Lc 23.5).

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro - Por Sylvio Guedes


É irônico que a classe artística e a categoria dos jornalistas estejam agora na, por assim dizer, vanguarda da atual campanha contra a violência enfrentada pelo Rio de Janeiro. Essa postura é produto do absoluto cinismo de muitas das pessoas e instituições que vemos participando de atos, fazendo declarações e defendendo o fim do poder paralelo dos chefões do tráfico de drogas.

Quando a cocaína começou a se infiltrar de fato no Rio de Janeiro, lá pelo fim da década de 70, entrou pela porta da frente.

Pela classe média, pelas festinhas de embalo da Zona Sul, pelas danceterias, pelos barzinhos de Ipanema e Leblon.

Invadiu e se instalou nas redações de jornais e nas emissoras de TV, sob o silêncio comprometedor de suas chefias e diretorias.

Quanto mais glamuroso o ambiente, quanto mais supostamente intelectualizado o grupo, mais você podia encontrar gente cheirando carreiras e carreiras do pó branco.

Em uma espúria relação de cumplicidade, imprensa e classe artística (que tanto se orgulham de serem, ambas, formadoras de opinião) de fato contribuíram enormemente para que o consumo das drogas, em especial da cocaína, se disseminasse no seio da sociedade carioca - e brasileira, por extensão.

Achavam o máximo; era, como se costumava dizer, um barato.

Festa sem cocaína era festa careta.

As pessoas curtiam a comodidade proporcionada pelos fornecedores: entregavam a droga em casa, sem a necessidade de inconvenientes viagens ao decaído mundo dos morros, vizinhos aos edifícios ricos do asfalto.

Nem é preciso detalhar como essa simples relação econômica de mercado terminou. Onde há demanda, deve haver a necessária oferta. E assim, com tanta gente endinheirada disposta a cheirar ou injetar sua dose diária de cocaína, os pés-de-chinelo das favelas viraram barões das drogas.

Há farta literatura mostrando como as conexões dos meliantes rastacuera, que só fumavam um baseado aqui e acolá, se tornaram senhores de um império, tomaram de assalto a mais linda cidade do país e agora cortam cabeças de quem ousa lhes cruzar o caminho e as exibem em bandejas, certos da impunidade.

Qualquer mentecapto sabe que não pode persistir um sistema jurídico em que é proibida e reprimida a produção e venda da droga, porém seu consumo é, digamos assim, tolerado.

São doentes os que consomem. Não sabem o que fazem. Não têm controle sobre seus atos. Destroem famílias, arrasam lares, destroçam futuros.

Que a mídia, os artistas e os intelectuais que tanto se drogaram nas três últimas décadas venham a público assumir:

"Eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro."
Façam um adesivo e preguem no vidro de seus Audis, BMWs e Mercedes.


Autor:
Sylvio Guedes
(editor - chefe do Jornal de Brasília)

Fonte:
Jornal de Brasília

sábado, 27 de novembro de 2010

As Pedras começam a Clamar no Complexo do Alemão


Coordenador do AfroReggae negocia rendições no Complexo do Alemão


Rio - O coordenador do AfroReggae, José Junior, afirmou na tarde deste sábado, através do Twitter, que alguns traficantes já começam a negociar sua rendição espontaneamente. José Junior chegou ao Complexo do Alemão, na Penha, Zona Norte, no final da manhã deste sábado, e ficou parado por alguns minutos ao pé da ladeira da Alvorada falando ao telefone. Em seguida, ele subiu a comunidade, passando pelas barricadas da polícia e dizendo que foi "tentar resolver a parada". Ele teria ido à comunidade tentar negociar a rendição dos traficantes.

José Junior chegou a descer rapidamente, deu a volta e retornou à comunidade por outro acesso. Ele afirmou que dentro de algumas horas voltará para falar como foi a conversa.


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

UPP na Vila Cruzeiro: Realidade ou Factóide ?


O Rio inteiro acompanhou ontem (quinta) ao vivo pela televisão, a transmissão da batalha da Vila Cruzeiro. No meio do RJ TV, 1ª edição, várias vezes foi repetido: “A secretaria de Segurança Pública acaba de anunciar que a próxima UPP será na Vila Cruzeiro”.

À noite, o subsecretário de Beltrame, Edval Novaes foi escalado para pagar o mico, no lugar do chefe. A polícia não tem efetivo para uma UPP na Vila Cruzeiro.

Qualquer um sabe que uma UPP na Vila Cruzeiro terá que ter um efetivo superior ao da maioria dos batalhões. Pelo menos 1.000 homens. No caso do Complexo do Alemão policiais estimam que uma UPP necessitaria de 2.000 homens.

Podem reparar que os jornais de hoje, nem falam mais de UPP na Vila Cruzeiro. Pelo jeito foi mais um factóide.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Denúncia Exclusiva: Guerra do Tráfico é reação ao apoio do Governador Cabral às milícias


Mais uma vez o governador Sérgio Cabral e seu secretário José Mariano Beltrame montaram uma “operação abafa” para esconder da população o que está motivando essa onda assustadora de ataques por todo o Grande Rio. E o pior a imprensa aceitou mais uma vez fazer parte da farsa.

Os ataques do tráfico não estão reagindo à UPPs, como dizem Cabral e Beltrame. O tráfico está desafiando as autoridades numa reação ao avanço das milícias com o apoio do governo Cabral. Vocês vão ficar estarrecidos com o que vou contar agora.

Nestas últimas horas tenho conversado com vários delegados e oficiais da PM e tomei conhecimento da verdade, que está sendo escondida do povo. Analisem algumas situações e vejam a lógica.

O Comando Vermelho se uniu ao Terceiro Comando para conter o avanço das milícias. Nem tem a menor lógica, vários meses depois da instalação das UPPs, só agora os bandidos reagirem. Primeiro continuam faturando com a venda de drogas, segundo, e principal, as comunidades onde foram instaladas UPPs não representavam nem 2% do faturamento das duas facções. Todo mundo sabe que a maior parte do faturamento do tráfico vem do Complexo da Maré, do Complexo do Alemão e da Penha, do Jacarezinho, da Rocinha, além das comunidades da Zona Oeste, onde o tráfico continua a todo o vapor.

Outro fato que contraria a lógica é a transferência de bandidos para presídios federais fora do estado. Se dizem que a ordem veio justamente de lá, mandar mais 8 para Rondônia ou Paraná resolveria o que? O detalhe é observando a lista dos “chefões” presos fora do Rio vocês não vão encontrar um preso no governo Cabral. Todos foram presos no governo de Rosinha ou no meu governo. Podem conferir. No governo Cabral não foi preso um único “chefe” do tráfico.

E onde entram as milícias? Um levantamento feito em 2007 apontava que 10% das comunidades do Rio de Janeiro eram dominadas pelas milícias. Reportagem de O Globo, publicada agora no dia 6 de novembro mostra que das 250 maiores comunidades do Rio, portanto as mais lucrativas, 105 são dominadas pelas milícias, 55 pelo Comando Vermelho, 35 pelo Terceiro Comando e 31 pela ADA. Hoje as milícias, somando as mais de mil comunidades da cidade do Rio, segundo a polícia já dominam 40%.

Cabral e Beltrame, no início do governo acham que as milíciassão um mal menor. Por isso a polícia investiu contra traficantes para limpar algumas áreas e permitir a entrada das milícias. Foi um erro estratégico que está saindo muito caro. Uma estupidez. Reparem que a única milícia que Cabral combateu foi a “Liga da Justiça” de Natalino e Jerominho, mas era por motivos políticos.

Os policiais com quem conversei confirmam que o setor de Inteligência tem os informes de que a ordem do tráfico é continuar a onda de ataques e foram interceptadas comunicações que mostram que a ação é contras as milícias. O tráfico está mandando um recado a Cabral e Beltrame contra o avanço das milícias. Essa é a verdade que está sendo escondida da população a sete chaves, com a conivência da mídia.

A onda de arrastões começou há dois meses, os ataques incendiando carros e ônibus só tiveram início do fim-de-semana para cá. Traficantes receberam informações, que a polícia estava se preparando para depois de passarem as eleições, investir contra as quadrilhas de algumas comunidades permitindo a entrada das milícias. O tráfico resolveu se antecipar e retaliar o governo e dar o recado de que não vai deixar barato. Podem se preparar que a coisa é muito séria.

Parem de enganar as pessoas e de querer usar uma guerra que está aterrorizando toda a população, para insistir na farsa da propaganda da “pacificação”. O que estamos assistindo é assustador. Ainda mais por se saber que foi deflagrada no Rio mais uma guerra sangrenta. O tráfico está dando retaliando o governo pelo apoio que vem dando às milícias e avisando que vai enfrentar os milicianos. Essa é a verdade. O resto é cortina de fumaça pra esconder o desastre da política de segurança de Cabral, que facilitou a vida das milícias e agora colhe os frutos da sua irresponsabilidade.


Em tempo: Para tentar dar veracidade à versão da reação às UPPs chegaram ao ridículo de mostrar um bilhete, que segundo a mídia "foi deixado no ônibus incendiado em Vicente de Carvalho", onde tinha uma frase atacando as UPPs. Agora me expliquem como um ônibus é devorado pelas chamas, mas o "papelzinho" nem foi chamuscado? Me poupem!


Autor: Antony Garotinho

A Finalidade das Parábolas de Jesus


Todas as parábolas de Jesus, sobretudo as que têm história, sem exceção, têm a finalidade de confrontar os homens, mesmo os mais religiosos, com respeito às suas atitudes despercebidas de frieza, dureza e insensibilidade para com Deus, a justiça, a misericórdia, a solidariedade, além de alertar os que, endurecidos e congelados pela religião superestimada, vivem pensando que estão seguros, pelo fato de se acharem predestinados. Isto é uma auto-ilusão criada pela religião.

O que é absolutamente inquietante nas parábolas de Jesus é a revelação que elas nos fazem acerca de uma das verdades mais duras do Novo Testamento: a real possibilidade de se viver a vida cristã pensando estar dentro do Reino de Deus, mas estando fora, como o fariseu hipócrita - a personagem mais estúpida do primeiro século, que, pelo fato de ser um seguidor rígido da Lei e de todos os manuais de conduta existentes, e por viver vida declaradamente separada, achava-se plenamente aceito por Deus, não se dando conta de que as suas práticas mais concorridas apenas faziam com que se agravasse mais o seu estado de penúria espiritual diante de Deus.

Uma outra finalidade das parábolas de Jesus é denunciar atitudes erradas dos que vivem espiritualidade verticalista e a-histórica. Mais de 90% das parábolas de Jesus foram dirigidas aos fariseus hipócritas, que representavam os religiosos da época. Mas o que é extremamente irônico nisso tudo é que hoje nós correspondemos aos que, no Novo Testamento, eram chamados de "filhos do reino", de sorte que, nem por um instante, devemos imaginar que somos melhores do que eles foram. Com efeito, quando lermos as parábolas de Jesus, devemos sempre ter em mente que elas hoje estão falando para nós. Por isso devemos levar mais a sério as palavras de Jesus proferidas no sermão do monte: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus" (Mt 7.21). Isto por uma razão bastante simples: ninguém está tão inseguro em relação à salvação quanto os que se acham seguros da sua conduta.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Como o Reino de Deus se aproxima


Jesus anuncia que o Reino de Deus, este reino que todos esperaram, está às portas. O mundo presente de miséria chega a seu fim. Esta irrupção é o definitivo “sim” de Deus à história.

Ao contrário de João Batista, portanto, Jesus prega o Reino de Deus como boa noticia. Deus rompe sua simetria de estar ao mesmo tempo distante e próximo, de ser justiceiro e misericordioso, e se aproxima em graça. Mas isto, naturalmente, ainda não nos dá nenhuma noticia do que será o Reino de Deus em si mesmo quando este acontecer em plenitude, quando realmente o mundo presente chegar a se fim. E isto, pela simples razão de que não chegou, como o próprio Jesus reconhece na frase de Marcos 13.32. A discussão aqui versa sobre dois pontos: a) se com Jesus já chegou definitivamente o Reino, ou não chegou em absoluto, ou- na famosa solução de O. Cullmannjá chegou, mas ainda não. Trata-se, portanto, do caráter temporal do reino. O outro ponto em discussão versa sobre; b) se o Reino de Deus é pura obra de Deus para Jesus ou ação do homem. Trata-se, portanto, do caráter gratuito do Reino.

À luz do Novo Testamento, fica a impressão de que Jesus pensou na próxima vinda do Reino, provavelmente durante a sua vida ou no final dela. O Reino, pois, não estava totalmente presente com sua primeira vinda; e, contudo, pregou para o presente algo já último. Também Jesus concebe o Reino como dom de Deus; e, contudo, agiu de uma forma determinada durante sua vida. Isto nos leva a afirmar que, a partir da vida real de Jesus, presente e futuro, dom divino e tarefa humana reconciliam-se. E deste ponto de vista, o que Jesus oferece como escatológico e último é viver na proximidade do Reino de Deus. Ou seja: o que há de liberdade nele, o que há de histórico e de transcendente, são todas perguntas que encontram uma resposta na medida em que se aceita o chamamento de Jesus: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 8.34). Isto porque o seguimento de Jesus é o lugar de toda epistemologia teológica – cristã, e por isso é também o lugar de compreender a escatologia. A tensão pensada entre dom de Deus e tarefa humana dissolve-se a partir do seguimento de Jesus. Pois a graça é experimentada não só como os novos ouvidos para ouvir a boa nova, mas também e além disso como plenitude da graça – como mãos novas para fazer uma história próxima do Reino. A tensão pensada entre presente e futuro do Reino é experimentada como esperança que não morre. Na práxis do amor e da justiça sabe-se que o Reino se aproxima, se faz presente; e na práxis conflitiva no meio do pecado do mundo, mantém-se a esperança no futuro de Deus.

O que o seguimento de Jesus permite é, então, viver uma realidade, tornar realidade um Reino que se aproxima, a partir do qual, ao menos com esperança, adquire sentido uma realidade última. Que no final “Deus seja tudo em todos” (1C0 16.28) só podemos formulá-lo a partir do trabalho sério e humilde, para que no presente Deus esteja um pouco no nosso mundo.

Isto nos parece importante para que a igreja questione hoje sua relação com o Reino de Deus. Não basta repetir rotineiramente – embora já se seja pouco estar convencido disto – que a igreja não é o Reino de Deus, mas sua servidora; que nesta tarefa a igreja não deve caminhar sozinha, mas aprender de todos os homens de boa vontade que objetivamente também servem a proximidade do Reino, e até se adiantaram a nós.

O que a igreja deve fazer positivamente é colocar-se naquele lugar a partir do qual se ilumine sua tarefa concreta a realizar numa determinada época: o seguimento de Jesus. E a partir daí aprender a valorizar sua missão; sem apelar apressadamente para a apocalíptica, isto é, a plenitude não sabida, ignorando e menosprezando o presente histórico; e seguindo antes o caminho profético de Jesus.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Homem com meia cabeça é preso nos Estados Unidos


Filadelfia (Estados Unidos) - Carlos Rodriguez, de 25 anos, foi preso na última semana pela polícia da Flórida, nos Estados Unidos, por posse de drogas, solicitação de prostituição e arrombamento de residência com intenção de roubo.

O problema de Carlos, no entanto, é que a parte da frente de sua cabeça é achatada. Assim, parece que o homem tem apenas "meia" cabeça.

Ninguém sabe o motivo do achatamento da cabeça e nem como Carlos conseguiu sobreviver até hoje.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Quais os motivos que nos fizeram esquecer do Reino de Deus?


Fica difícil estabelecer uma causa plausível para o fato de se achar tão raquítico entre os evangélicos o estudo sobre o Reino de Deus, tema que foi levado tão a sério por Jesus por todo tempo do seu ministério, chegando a se transformar na realidade última da sua vida – pois as causas são várias:

Uma diz respeito ao próprio fato da ressurreição. A ressurreição de Jesus foi evento tão empolgante que deixou à sombra os demais. As primeiras comunidades cristãs viviam intensamente a alegria do triunfo de Jesus sobre a morte.

Uma segunda causa, ligada à primeira, foi a expectativa da próxima vinda de Jesus. A parusia era tida como acontecimento iminente. A história, conforme entendiam os primeiros cristãos, chegara ao seu término.

Uma terceira causa do esquecimento do projeto do Reino provavelmente tenham sido as perseguições que feriram as comunidades cristãs dos três primeiros séculos. Em Jerusalém os inimigos de Jesus perseguiram os seus seguidores. Tiago foi morto à espada por ordem de Herodes. Estevão, o primeiro mártir, morreu apedrejado. João e Pedro foram encarcerados. Em toda a vastidão do Império romano, sucessivas perseguições foram desencadeadas por diferentes motivos. Logo a expectativa do martírio ocupava plenamente o coração dos seguidores de Jesus, constantemente desafiados a darem testemunho de sua fé com a própria vida.

Uma quarta causa radica na cultura grega dominante nos primeiros anos do cristianismo. Tivera este sua origem próxima em plena Pax Romana de Augusto, Roma era a dominadora dos povos. A Grécia, porém, reconhecidamente detinha a hegemonia do intelecto, das artes e das lucubrações filosóficas. Ou seja: o mundo todo encontrava-se à mercê do domínio político de Roma e sob a hegemonia cultural da sábia Hélade. A fuga do mundo, o refúgio da fé num intimismo verticalista com desprezo profundo pela realidade material seria campo propicio ao desligamento da fé de sua dimensão telúrica.

A quinta e última causa do esquecimento do Reino foi que a fé desligou-se da historicidade. A igreja, que nos três primeiros séculos havia sido um movimento fortemente impregnado da história da salvação, durante o império de Constantino Magno assume-se como instituição, passando à tutela milenar de imperadores e reis. Perdido o senso de horizontalidade, a fé entrou a ser vivida de forma abstrata, a –histórica, intemporal, desvinculada do mundo. E a promessa do reino ficou reduzida a esperança escatológica, acontecimento futuro.

O homem da cristandade, de tanto olhar para o céu, esqueceu a terra. O verticalismo do relacionamento Deus-homem obliterou o seu compromisso com a humanidade. Mas é de João, o apóstolo, a pergunta : “Como podes amar a Deus que não vês, se não amas o próximo que vês?” No entanto, a justiça foi sendo substituída pela caridade e esta traduzida, não raro, em mero assistencialismo.

Como o mundo é “mau”, instalou-se uma religiosidade-fuga-das-vicissitudes-do-mundo. O refúgio na transcendência fez da religiosidade “ópio”. A visão intimista e absenteísta da fé teve reflexos no próprio agir concreto dos cristãos.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

MSN por Arnaldo Jabor


Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSN’s. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick.

O espaço "nome" foi criado pela Microsoft para que você digite O NOME que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que "Vendo Abadá do Chiclete e Ivete" é na verdade Tiago Carvalho, ou "Ainda te amo Pedro Henrique" é o MSN de Marcela Cordeiro.

Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre o estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa…

"A-M-I-G-A-S o fim de semana foi perfeito!!!" acabou de entrar. Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes (perigosas), terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes estava com o nick "O fim de semana promete". Quer mostrar pro ex e pros peguetes (perigosos) que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o traseiro de Balalaika, Baikal e Velho Barreiro e beijar umas bocas repetidas. O pior é que você conhece o casal e está no meio desse "tiroteio", já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o nick "Hoje tem mais balada!", tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex.

"Polly em NY" acabou de entrar. Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut com a legenda "Eu em Nova York". Por que ninguém bota no Orkut foto de uma viagem feita a Praia-Grande – SP ?

"Quando Deus te desenhou ele tava namorando" acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais tocada nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como "Diga que valeuuu" ou "O Asa Arreia" na época do carnaval.

"Por que a vida faz isso comigo?" acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé no traseiro e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.

"Maria Paula ocupada prá c** " acabou de entrar. Se está ocupada prá c**, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pro espaço. Com certeza.

"Paulão, quero você acima de tudo" acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado pelas sua amigas piriguetes(perigosas).

"Marizinha no banho" acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para "Marizinha bebendo água". Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick "Marizinha matriculando o moleque na natação".

" < . ººº< . ººº< / @ e $ $ ! - @ >ªªª . >ªªª >" acabou de entrar. Essa aí acha que seu nome é o Código da Vinci pronto a ser decodificado. Cuidado ao conversar: ela pode dizer "q vc eh mtu déixxx, q gosta di vc mtuXXX, ti mandá um bjuXX".

"Galinha que persegue pato morre afogada"
acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que tá dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia.

"VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP" acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário.

"Danny Bananinha" acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta.

Bom é isso, se quiserem escrever alguma mensagem, declaração ou qualquer coisa do tipo, tem o campo certo em opções "digitem uma mensagem pessoal para que seus contatos a vejam" ou melhor, fica bem embaixo do campo do nome!! Vamos facilitar!!!!
Autor: Arnaldo Jabor

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

SBT confirma que negocia venda de horário para evangélicos


O escândalo financeiro de cerca de R$ 2,5 bilhões que envolve o Grupo Silvio Santos fez com que o SBT abrisse negociação para venda de horário para igrejas evangélicas. Três igrejas fizeram ofertas nas últimas 48 horas para comprar fatias ou mesmo toda a madrugada do SBT. São elas: o Ministério Silas Malafaia, a Igreja Internacional da Graça e a Igreja Universal.

Por meio de sua assessoria, a emissora confirmou negociações, recusou-se a dizer nomes, mas disse que "não são novas as ofertas de igrejas que querem comprar horas da madrugada". O SBT acrescentou que, "até o momento, nenhuma proposta interessou".

Depois de se reunir com o pastor Malafaia anteontem, o SBT teria recebido uma nova proposta da Internacional, de R.R.Soares, no valor de R$ 10 milhões mensais (cinco horas diárias, de segunda a domingo). Ninguém confirma.

No primeiro trimestre do ano passado, Soares já havia oferecido R$ 5 milhões por três horas, mas o SBT recusou. Soares é cunhado de Edir Macedo, que também sinalizou ontem ao Grupo SS que estará sempre disposto a comprar horários do SBT.

Pela legislação, como igreja, a Universal tem direito a comprar horário em outras emissoras -o que já faz (Gazeta, Rede TV!).

A assessoria do SBT não quis comentar as negociações e nem os valores citados acima.

Se Silvio Santos vender espaço da grade a uma igreja, seja por curto ou longo prazo, talvez melhore ou até mesmo salve as catastróficas contas do Grupo SS. Só que, nesse caso, o SBT deixará de ser a única TV aberta sem qualquer programação religiosa. O SBT é o único canal laico hoje, já que até a Globo tem a "Santa Missa" católica aos domingos.

A eventual locação da madrugada também pesará porque é o único período em que o SBT disputa ou chega ao 1º lugar no ibope com frequência. Ontem, por exemplo, entre 5h e 6h, o SBT foi líder isolado em São Paulo, com 3,7 pontos à frente de Globo (2,9) e Record (1,7). Abrir mão disso seria acabar com um dos últimos "orgulhos" do SBT.

Por outro lado, entre 0h e 4h a audiência do SBT é fraca. O canal quase nunca sai do 3º lugar e às vezes até cai para o 4º. Seus seriados hoje perdem da programação religiosa da Record (especialmente do "Fala que eu Te Escuto"). Portanto, vender essa faixa horária (0h e 4h) não significaria grande prejuízo --do ponto de vista do ibope.

Em setembro último, conforme Ooops! revelou, Silvio revelou a um amigo que cogitava se aposentar do vídeo no final deste ano. Aos 80 anos, que se completam no próximo dia 12, Silvio se queixou de cansaço e do desgaste provocado pela guerra do ibope que enfrentou nesta década. Uma guerra que, somente desde 2007, fez o SBT perder não só a vice-liderança, mas inúmeros profissionais para a Record, da área técnica e da artística (como sua mais famosa "cria": Gugu Liberato).

Antes do escândalo financeiro estourar, Silvio pretendia passar três meses de férias em Orlando e comemorar lá seu aniversário. Talvez agora tenha de mudar seus planos.


Vi no blog www.amigodecristo.com/

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desabafo de Luiz Nassif


Elite privilegiada

Muitos se dizem aviltados com a corrupção e a baixeza de nossos políticos. Eu não, eles são apenas o espelho do povo brasileiro: um povo preguiçoso, malandro, e que idolatra os safados. É o povo brasileiro que me avilta! Não é difícil entender porque os eleitores brasileiros aceitam o LULA e a quadrilha do PT como seus líderes. A maioria das pessoas deste país faria as mesmas coisas que os larápios oficiais: mentiriam, roubariam, corromperiam e até matariam. Tudo pela sua conveniência. Com muitas exceções, os brasileiros se dividem em 2 grupos :

1) Os que roubam e se beneficiam do dinheiro público, e
2) Os que só estão esperando uma oportunidade de entrar para o grupo 1.

Por que será que o brasileiro preza mais o Bolsa Família que a moralidade?

Fácil: Com a esmola mensal do bolsa família não é preciso trabalhar, basta receber o dinheiro e viver às custas de quem trabalha e paga impostos.

Por que será que o brasileiro é contra a privatização das estatais?

Fácil: Em empresa privada é preciso trabalhar, ser eficiente e produtivo; senão perde o emprego. Nas estatais é eficiência zero, comprometimento zero e todos a receber o salário garantido, pago com o imposto dos mesmos idiotas contribuintes.

Para mim chega!

Passei minha vida inteira trabalhando, lutando e tentando ajudar os outros.
Resultado: Hoje sou chamado de "Elite Privilegiada".

Hoje a moda é ser traficante, lobista, assaltante e excluído social. Por isso, tomei a decisão de deixar de ser inocente útil, e de me preocupar com este povo que não merece nada melhor do que tem. Daqui pra frente, mudarei minha postura de cidadão.

Vou me defender e defender os direitos e interesses da nossa "Elite Privilegiada"

1) Ao contrário dos últimos 20 anos, não farei mais doações para creches, asilos e hospitais. Que eles consigam os donativos com seu Querido "governo voltado para o Social".

2) Não contribuirei mais com as famosas listinhas de fim de ano para cesta de natal, de porteiros manobristas, faxineiros e outros (O ABILIO TINHA RAZÃO). Eles já recebem a minha parte pelo Bolsa-Família.

3) Não comprarei mais CDs e não assistirei a filmes e peças de teatro dos artistas que aderiram ao Lulismo. Eles que consigam sua renda com as classes c e d, já que a classe media que os sustentou até hoje não merece consideração.

4) Não terei mais empregados oriundos do norte-nordeste (curral eleitoral petista). Por que eles não utilizam um dos "milhões de empregos gerados por este governo"?

5) Depois de 25 anos pagando impostos , entrarei no seleto grupo de sonegadores. Usarei todos os artifícios possíveis para fugir da tributação, especialmente dos impostos federais (IR). Assim, este governo usará menos do meu dinheiro para financiar o MST, a Venezuela, a Bolívia e as "ONG´s fajutas dos amigos do Lula".

6) Está abolida toda e qualquer "gorjeta" ou "caixinha" para carregadores, empacotadores, frentistas, e outros "excluídos sociais". Como a vida deles melhorou MUITO com este governo de esquerda, não precisam mais de esmolas.

7) Não comprarei mais produtos e serviços de empresários que aderiram ao Lulismo. É só consultar a lista da reunião de apoio ao Lula, realizada em Setembro/06. Como a economia está "uma beleza", eles não estão precisando de clientes da "Elite Privilegiada" .

8) As revistas, jornais e tv´s que defenderam os corruptos em troca de contratos oficiais estão eliminadas da minha vida (Isto É, Carta Capital, Globo, etc). A imprensa adesista é um "câncer a ser combatido". As tv´s que demitiram jornalistas que incomodaram o governo (lembra da Record com o Boris Casoy?) já deixaram de ser assistidas em casa.

9) Só trabalho com serviços públicos privatizados. Como a "Elite Privilegiada" defende a Privatização, usarei DHL ao invés dos Correios, não terei contas na CEF, B.Brasil e outros Órgãos Públicos Corruptos.

10) Estou avisando meus filhos : Namorados petistas serão convidados a não entrar em minha casa. E dinheiro da mesada que eu pago não financia balada e nem restaurante com petista. Sem Negociação.

11) Não viajo mais para o Nordeste. Se tiver dinheiro, vou para o exterior, senão tiver vou para o Guarujá. O Brasil que eu vivo é o da "Elite Privilegiada" , não vou dar PIB para inimigo.

12) Não vou esquecer toda a sujeira que foi feita para a reeleição do "Sapo Barbudo", nem os nomes dos seus autores. Os boatos maldosos da privatização ( Jacques Wagner, Tarso Genro, Ciro Gomes), a divisão do Brasil entre ricos e pobres ( Lula, José Dirceu), a Justiça comprada no STF (Nelson Jobin), a vergonha da Polícia Federal acobertando o PT (Tomás Bastos), a virulenta adesão do PMDB (Sarney, Calheiros, Quércia), a superexposição na mídia do Lula ( Globo) ..

Sugiro que vocês comecem a defender sua ideologia e seu estilo de vida, senão, logo logo, teremos nosso patrimônio confiscado pela "Ditadura do Proletariado"
Estou de luto! O meu país morreu!

- EU DESISTI DO BRASIL!!!

Autor: Luiz Nassif

O Dia de Hoje é uma Dádiva, por isso, é chamado de Presente !!


Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões. Sua cama estava junto da única janela do quarto. O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas. Os homens conversavam horas a fio.

Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus hobbys, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela. O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela.

A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes nadavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris.

Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia passar, embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, e conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram.

Uma manhã, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia.

Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca. Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela, que dava, afinal, para uma alta parede de tijolos...

O homem perguntou, então, à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede.

Talvez ele quisesse apenas lhe dar coragem...


Moral da História:

Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.

A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.

Se queres te sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar. O dia de hoje é uma dádiva, por isso, é que o chamam de presente!!!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

9º Congresso de EBD


Da esquerda para a direita: Pastor Gualter Guedes (Pregador), Pb Édson Pinheiro (2º Vice-presidente), Pb Luiz Monteiro (1º Vice-presidente) e Pastor Flavio Constantino (Presidente da Assembléia de Deus- Ministério Eu Creio)



Pastor Gualter Guedes pregando a Palavra de Deus


No último dia 07 de novembro começou o Congresso de Escola Bíblica da Igreja Assembléia de Deus - Ministério Eu Creio.

Neste último domingo tivemos a honrar de ter o Pastor Gualter Guedes pregando a Palavra de Deus acompanhado de sua esposa a irmã Carla Lilian e seu filho Luan Mathias.

Deus usou poderosamente o Pastor Gualter Guedes, o mesmo pregou em Lc 7. 11-17. Cujo tema foi: "O encontro da multidão da morte com a multidão da vida".

Durante todos os domingos de Novembro a partir dás 18:00 hs estará acontecendo o congresso da Escola Bíblica.

Desde já os nossos agradecimentos à Diaconisa Selma Romeu - Superintendente da Escola Bíblica de nossa igreja, que tem realizado um excelente trabalho.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Líder cristão na África causa polêmica ao afirmar que Jesus tinha Aids


O pastor esperava remover o estigma que acompanha os portadores do HIV

O pastor evangélico Xola Skosana (foto) provocou grande polêmica na África do Sul ao afirmar que Jesus Cristo era portador do HIV, o vírus da Aids.

O discurso de Xola Skosana, feito no bairro de Khayelitsha, na Cidade do Cabo, espalhou-se rapidamente pelo país. Cristãos reagiram prontamente, condenando o pastor por fazer um retrato de Jesus como um homem promíscuo, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira pelo "Daily Mail".

"O tema do meu Jesus como portador do HIV é uma questão lastimável", disse Mike Bele, um outro pastor local.

Skosana, que pertence à igreja Hope for Life Ministry, um braço da corrente carismática sul-africana, que está em franco crescimento, disse que a sua mensagem tem a ver com "esperança". Ao afirmar que Jesus tinha Aids, o religioso esperava remover o estigma que acompanha os portadores do HIV.

Mais de 5,7 milhões de pessoas na África do Sul sofrem de Aids - mais do que em qualquer outro país. O próprio Skosana perdeu duas irmãs vítimas da doença


Fonte: http://www.adalagoas.com.br/

sábado, 6 de novembro de 2010

A Doença da Culpa Funcional


"Todavia, me procuram cada dia, tomam prazer em saber os meus caminhos; como um povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu o não sabes? Eis que, no dia em que jejuais, achais o vosso próprio contentamento e requereis todo o vosso trabalho." (Is 58.2-3)

Quando fazemos o trabalho de Deus de maneira rotineira, mecânica, sem qualquer tipo de tensão, no sentido de se auto-policiar para verificar se o que se faz, em verdade, se faz para Deus, estamos dando indícios de uma sensibilidade perdida.

Pessoas há que funcionam no trabalho de Deus só para tapear. Quantos há que aceitam o pacote doutrinário da igreja só verbalmente porque os seus interesses são outros. Este tipo de comportamento é terrivel no meio do povo de Deus, porque leva as pessoas a pensarem que o fato de estarem funcionando no âmbito religioso é suficiente para agradar a Deus. O grande problema, no entanto, é quando estas pessoas descobrem que seu trabalho nunca foi aprovado por Deus. Alguns, quando passam por essa avassaladora experiência de desnudamento, agem cinicamente; outros, de forma mais coerente, arrependimento, retomam a vida e procuram de imediato um conserto com Deus. Israel nada fez para resolver seu problema. Deus então deu o seu veredicto: culpado.

Autor: Rev. Paulo Cesar Lima da Silva
Fonte: Livro - O Poder do Jejum, o jejum que precisamos conhecer

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

3º Encontro de Casais

No último dia 30 de outubro foi realizado na Igreja Assembleia de Deus - Ministério Eu Creio, o 3º Encontro de casais, onde tive o prazer de ministrar a palestra. Tivemos a participação de 30 casais. Foram momentos de muito quebrantamento e restauração de casais. Já temos ouvido testemunhos daquilo que Deus realizou nesse dia. Confira as fotos abaixo:

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Pastor Cristão Youcef Nadarkhani Recebe Pena de Morte no Irã


[[PEÇO DIVULGAR ESTE ASSUNTO]]
PASTOR YOUCEF NADARKHANI É SENTENCIADO A MORTE NO IRÃ



Por reclamar do monopólio mulçumano no ensino religioso da escola dos filhos.


International Christian Concern



Tradução: João Cruzué

A Comissão Americana para a Liberdade Internacional Religiosa - USCIRF expressou preocupação pelo caso de um pastor cristão que está preso a mais de um ano e recentemente foi ameaçado de execução por "apostasia". A comissão exortou a Administração do governo Obama para pressionar pela sua libertação incondicional.

Este caso é mais uma evidência de que não há transparência ou justiça no chamado sistema "legal" iraniano para as minorias religiosas, disse o Sr. Leonard Leo, diretor da Comissão. A administração Obama deve continuar falando alto, no mesmo tom da Secretária de Estado Hillary Clinton falou em agosto para as minorias iranianas. A pressão internacional causa impacto no Irã, e o regime tem mostrado leniência em alguns casos em que há escrutínio internacional.

Youcef Nadarkhani, um pastor do Norte do Irã, foi preso [prisão de Lakan] em outubro de 2009 depois que ele questionou o monopólio muçulmano no ensino religioso que seus filhos estavam recebendo na escola, argumentando que a Constituição do Irã permite criar os filhos na fé de seus pais. O Pastor Nadarkhani, e mais tarde sua esposa, Fatemeh Passandideh, foram acusados de apostasia. Enquanto sua esposa foi solta no começo deste mês, depois de quatro meses de prisão, de acordo com fontes iranianas o Pastor Nadarkhani foi acusado, declaradamente julgado, e informado verbalmente que ele vai receber pena de morte, embora nenhum nenhum veredito formal tenha sido emitido.

Durante o anos passado, os registros da combalida liberdade religiosa do governo iraniano deterioraram, especialmente quanto às religiões: baha'is, cristã e muçulmanos Sufis. Agressões físicas, aborrecimentos, detenções, prisões, intensificação de aprisionamento. Mesmo as minorias religiosas não-muçulmanas reconhecidas, como Judeus, arminianos e Cristãos Assírios e Zoroastrismo, protegidos sob a constituição iraniana têm enfrentado crescente discriminação e repressão. Desde a disputa eleitoral de junho de 2009, o governo iraniano tem intensificado sua campanha contra as minorias religiosas não muçulmanas.

Este modelo de prender e prejudicar as minorias religiosas, combin ado com a retórica inflamadado presidente Ahmadinejad e outros líderes não tinha sido vistas desde os primeiros anos da revolução iraniana. Disse o diretor da USCIRF, Sr. Leonard Leo.

--O fator tempo é essencial neste caso. A vida deste Pastor está por um fio. Nós comclamamos nosso governo e a comunidade internacional para pressionar e cobrar a libertação e assegure que não vai tomar ações extremas neste caso nem em outros semelhantes a este.

Fonte: http://www.persecution.org/



Comentário: A pedido irmão Felipe Ribas, pesquisei este assunto direto na fonte; estou repercutindo no blog olhar cristão. O nome deste pastor precisa ser espalhado para tudo enquanto é espaço vitual. Quanto mais conhecido ele for na comunidade internacional, maiores as chances dele não ser executado no Irã. Esta tradução está disponível para todos os que quiserem colaborar nesta causa.' (João Cruzué). Quem sabe o presidente Lula possa apresentar esta causa ao seu "colega" do Irã?

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Fé Que Às Vezes Livra e Às Vezes Nos Livra


Hebreus 11.29-40

Introdução:

É inaceitável a forma como as pessoas, na sua grande maioria, vêm lidando com a fé em Deus. Às vezes influenciadas por ensinos extra-bíblicos ou até mesmo antibíblicos, muita gente vive uma fé resultante de uma teologia do tipo “papel de presente” – por fora uma coisa, mas por dentro é outra completamente diferente. Não há reflexão sobre a fé em Deus como atitude de vida, além da própria vontade de querer conseguir. A fé em Deus não pode ser admitida a partir de uma visão individualista e mesquinha. Ela, a fé, não deve ser compreendida como uma “moeda” de barganha com Deus. Esta é a compreensão mais equivocada que se pode ter da fé em Deus.

I – A Fé Que Às Vezes Livra

a) As ações de Deus são incontestáveis. Sempre há um motivo a mais no agir de Deus em nossa vida. O que dispara as ações divinas na história é o seu querer e o Seu efetuar (At 1.3; Fp 2.13);
b) As ações de Deus são inigualáveis. Nada pode se comparar com o mover de Deus. É algo marcante, transformador e único (2Cr 14.11);
c) As ações de Deus se repetem na história. O Deus que Fez é o mesmo Deus que faz, e o mesmo Deus que fará. E se Ele fez, Ele fará (Hb 13.8)


II - A Fé Que Às Vezes Nos Livra

É preciso entender, biblicamente, a ótica de Deus e a maneira de nós, seres humanos, entendermos determinadas situações.

a) Uma não ação de Deus comumente nos remete a ações individuais e voluntariosas. Explico: Há muitas coisas que nos acontecem pelo nosso exclusivo empenho em querer vê-las acontecer. Mas, cuidado: a não ação de Deus (que é uma de Suas ações) sempre implicará em ações eficazes da nossa fidelidade.
b) Uma ação de Deus comumente é interpretada como uma não ação de Deus. Principalmente quando as coisas não acontecem como imaginamos. Os que acham que Deus é um “Shazan” serão confundidos pelas ações não programadas por Deus.
c) Uma não ação de Deus comumente é entendida como uma providência. Quantas vezes colocamos os carros à frente dos bois e tomamos o comando das nossas ações como se Deus estivesse nos aprovando.


III – Como Entender a “Ação de Deus” e a “Não Ação de Deus”

a) A ação de Deus é vista, sentida, experimentada e crida; a não ação de Deus (que é uma ação) nos impele à fidelidade.
b) A ação de Deus nos livra; a não ação de Deus nos faz resistir.
c) A ação de Deus nos protege; a não ação de Deus nos torna forte na fraqueza.


Conclusão:

A fé em Deus deve ser vista através de duas perspectivas: a fé que vê o agir de Deus e a que aceita o não agir de Deus. Na ação de Deus, nós temos a Sua proteção; no silêncio de Deus (a Sua não ação), Ele (o Senhor) tem de nós a fidelidade.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Precisa-se de Matéria Prima Para Construir um País


A crença geral anterior era que Collor não servia, bem como Itamar e Fernando Henrique. Agora dizemos que Lula não serve. E o que vier depois de Lula também não servirá para nada.

Por isso estou começando a suspeitar que o problema não está no ladrão corrupto que foi Collor, ou na farsa que é o Lula. O problema está em nós. Nós como POVO. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a "ESPERTEZA" é a moeda que sempre é valorizada, tanto ou mais do que o dólar.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nas calçadas onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as "EMPRESAS PRIVADAS" são papelarias particulares de seus empregados desonestos, que levam para casa, como se fosse correto, folhas de papel, lápis, canetas, clipes e tudo o que possa ser útil para o trabalho dos filhos ...e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde a gente se sente o máximo porque conseguiu "puxar" a tevê a cabo do vizinho, onde a gente frauda a declaração de imposto de renda para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a impontualidade é um hábito. Onde os diretores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas fazem "gatos" para roubar luz e água e nos queixamos de como esses serviços estão caros.

Onde não existe a cultura pela leitura (exemplo maior nosso atual Presidente, que recentemente falou que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem econômica.

Onde nossos congressistas trabalham dois dias por semana para aprovar projetos e leis que só servem para afundar ao que não tem, encher o saco ao que tem pouco e beneficiar só a alguns.

Pertenço a um país onde as carteiras de motorista e os certificados médicos podem ser "comprados", sem fazer nenhum exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no ônibus, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar o lugar.

Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o pedestre. Um país onde fazemos um monte de coisa errada, mas nos esbaldamos em criticar nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos do Fernando Henrique e do Lula, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem "molhei" a mão de um guarda de trânsito para não ser multado.

Quanto mais digo o quanto o Dirceu é culpado, melhor sou eu como brasileiro , apesar de ainda hoje de manhã passei para trás um cliente através de uma fraude, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como "Matéria Prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas nos falta muito para sermos os homens e mulheres que nosso país precisa.

Esses efeitos, essa "ESPERTEZA BRASILEIRA" congênita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos de escândalo, essa falta de qualidade humana, mais do que Collor, Itamar, Fernando Henrique ou Lula, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são brasileiros como nós, ELEITOS POR NÓS.

Nascidos aqui, não em outra parte... Me entristeço. Porque, ainda que Lula renunciasse hoje mesmo, o próximo presidente que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém o possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Collor, nem serviu Itamar, não serviu Fernando Henrique, e nem serve Lula, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa.

E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente sacaneados!!!

É muito gostoso ser brasileiro. Mas quando essa brasilinidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, aí a coisa muda... Não esperemos acender uma vela a todos os Santos, a ver se nos mandam um Messias.

Nós temos que mudar, um novo governador com os mesmos brasileiros não poderá fazer nada. Está muito claro...... Somos nós os que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda nos acontecendo; desculpamos a mediocridade mediante programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de surdo, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?....

MEDITE!!!!!

Autor: João Ubaldo Ribeiro

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O Último Adeus ao Pastor Rogério Santana



Milhares de amigos prestam homenagem ao pastor

O último adeus ao pastor Rogério Leandro Portela Santana, 36, foi dado por milhares de pessoas que lotaram o templo sede da Assembléia de Deus do Belenzinho em Campinas que em meio a dezenas de coroas de flores, enviadas por amigos, participaram de um culto de despedida dirigido pelo presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, pastor José Wellington Bezerra da Costa.

A banda da congregação do Jardim São Vicente mesclada com vários músicos tocaram hinos da harpa cristã cantados pelo pastor e deputado estadual Adilson Rossi. A congregação do Jardim são Vicente era dirigida pelo pastor Rogério. Um grupo misto da congregação cantou um hino. O coral da sede também cantou um louvor.

Diversos pastores deram sua palavra de conforto a irmã Vanessa Costa Santana, que se manteve ao lado do caixão durante toda a cerimônia. Ministraram os pastores: Carlos Roberto da Silva (secretário da Comadesp – Convenção de Ministros das AD em São Paulo) e pastor na cidade de Cubatão; o pastor Joel Amâncio, de Limeira, que confidenciou o fato de ter sido o pastor que efetuou o batismo do pastor Rogério.

Falou ainda o pastor do setor da Lapa, José Prado Veiga; o pastor presidente da AD Jundiai, Esequias Soares; pastor Valdeni Carneiro (presidente da AD Mogi Mirim); pastor presidente da AD Paulínia, Edvaldo Bueno, que falou em nome do ministério da AD Campinas e representando a Casa Publicadora e os convencionais, falou o pastor José Wellington Costa Jr. O deputado federal e presidente da Igreja o Brasil para Cristo,pastor Roberto Lucena trouxe uma rica palavra precedido pelo pastor representante da igreja do Nazareno, Jocymar Fonseca.

O pai de Rogério Santana, irmão Eliezer Santana, muito emocionado falou em nome dos familiares. Pastor José Wellington não se conteve em lágrimas e discursou com a voz muito embargada, passando em seguida a palavra ao pastor Paulo Freire, que tomou a iniciativa de agradecer a todos pelo carinho dispensado nesta hora tão difícil. Nos seus agradecimentos ele se dirigiu ao seu irmão pastor Joel Freire, que está na Flórida (EUA), que no momento assistia a cerimônia via Web e lhe teceu agradecimentos pelo apoio.

O corpo saiu do templo, por volta das 16 horas, com direção ao cemitério das Aléias no Jardim Flamboyant em Campinas, onde os familiares e centenas de presentes lhe prestaram uma última homenagem.

Fonte: http://www.adcamp.org.br/

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pastor Silas Malafaia pretende apresentar seu programa no SBT


Ratinho está articulando um encontro de Malafaia com Daniela Beiruty, filha de Silvio Santos e atual diretora-geral do SBT

O pastor Silas Malafaia pretende apresentar o programa evangélico de sua igreja no SBT. De acordo com o jornalista Lauro Jardim, a negociação está sendo articulada pelo apresentador Ratinho, que viabilizará um encontro do pastor com Daniela Beyruti, diretora-geral do SBT e uma das filhas de Silvio Santos.

A ideia de Malafaia é veicular um programa evangélico em horário nobre, assim como a Band faz com o "Show da Fé", do missionário R.R. Soares. Atualmente, a Igreja Assembleia de Deus exibe seu programa, o "Vitória em Cristo", em várias emissoras, como a Band, a RedeTV! e a CNT.

Essa não é a primeira vez que um líder de igreja evangélica tenta comprar horários no SBT. Recentemente, R.R. Soares fez proposta para ocupar horários no canal de Silvio Santos. Caso o SBT aceite a tentadora proposta da igreja de Malafaia, a Globo se tornará a única das grandes emissoras sem a veiculação de programas evangélicos em sua grade de programação.

Fonte: http://www.adalagoas.com.br/

Pastor Paulo Freire perde genro em acidente de carro


O engenheiro e pastor do ministério do Belém em Campinas, Rogério Leandro Portela Santana, morreu na noite de ontem, por volta das 21:30 hs, na rodovia Bandeirantes , quando retornava para Campinas . O acidente aconteceu próximo ao km 73, junto ao Hopy Harri.

O carro do pastor Rogério Santana, um Fócus preto, escorregou na pista molhada e bateu no Guard Rail, e ele não resistiu aos ferimentos e veio a falecer.

O corpo está sendo aguardado para ser velado na sede da AD em Campinas, na Rua Pastor Cícero Canuto de Lima - 160 . O corpo ainda está em Jundiaí, vindo direto para a igreja com chegada prevista por volta das 09:30 hs.

Pastor Rogério Santana era casado com Vanessa Santana, filha mais velha do pastor e presidente da AD Campinas Paulo Roberto Freire da Costa, e deixa dois filhos o Paulo Rogério e a Amanda.


Nossa dor

A igreja em Campinas enlutada se sensibiliza coma irmã Vanessa Santana, seu dois filhinhos e todos os seus familiares pela perda irreparável do nosso querido irmão pastor Rogério Santana.

O ministério e a igreja choram juntos com todos os familiares neste momento de infausto, e pedimos ao Espírito Santo que console cada um nesta hora difícil da vida.

Fonte: http://www.pastorjuarezlima.blogspot.com/


Que o Senhor possa confortar e consolar a família e a todos os membros da Assembleia de Deus em Campinas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Campanha de Serra faz ofertas a evangélicos


Tucanos oferecem benefícios em troca de apoio de pastores a Serra

A campanha de José Serra (PSDB) está oferecendo benefícios a igrejas evangélicas e a entidades a elas ligadas em troca de apoio de pastores à candidatura tucana.

O mesmo foi feito na campanha do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin.

O responsável pelo contato com os líderes é Alcides Cantóia Jr., pastor da Assembleia de Deus em São Paulo.

Ele responde pela "coordenadoria de evangélicos" da campanha, criada ainda no primeiro turno exclusivamente para angariar apoios entre evangélicos.

"Disparo entre 150 e 200 telefonemas por dia, mais ou menos", diz Cantóia, que trabalha numa espécie de guichê montado no térreo do edifício Praça da Bandeira (antigo Joelma), quartel-general da campanha de Serra. No local, ele também recebe pastores para "um café".

Os telefonemas são feitos para pastores de várias denominações em todo o Estado de São Paulo, em busca de pedido de voto em Serra entre os fiéis de suas respectivas igrejas.

Segundo Cantóia, entre os argumentos para conquistar o engajamento dos evangélicos, além do discurso relativo a valores, como a posição contrária à descriminalização do aborto, está a promessa de apoio a parcerias entre essas igrejas e entidades assistenciais a elas vinculadas com prefeituras e governo, em caso de vitória tucana.

Como exemplo, cita a possibilidade de, com os tucanos no poder, igrejas poderem oferecer apoio a crianças e adolescentes, complementando o período que elas passam na escola. Assistência a idosos também é citada.

"O objetivo é levar as crianças para dentro da igreja", afirma o pastor. "Esse é um dos argumentos. Seriam igrejas em tempo integral, complementando a atividade da escola."

Cantóia afirma, também, tentar intermediar demandas recebidas de pastores junto a prefeituras. Por exemplo, pedidos para que entidades funcionem como creche ou que virem intermediárias do programa Viva Leite, do governo estadual.

Alcides diz ter sido um dos articuladores que levaram os pastores Silas Malafaia, do Rio de Janeiro, e José Wellington Bezerra, de São Paulo, ambos da Assembleia de Deus, a gravarem depoimentos de apoio a Serra, exibidos em sua propaganda na TV.

O Conselho dos Pastores de São Paulo, que reúne representantes de diversas denominações protestantes, estima que cerca de 80 mil pastores em SP apoiem Serra.

Tucanos admitem oferecer os benefícios

O oferecimento de benefícios, como parcerias governamentais com entidades ligadas a igrejas evangélicas, foi admitido pela campanha de José Serra à Presidência.

No entanto, os tucanos negaram que a campanha, por meio do pastor Alcides Cantóia Jr., tome a iniciativa do contato com pastores.

"A Coordenadoria de Evangélicos faz apenas a intermediação entre partido e segmento evangélico, quando somos procurados", afirma a assessoria da campanha, em resposta a perguntas enviadas por e-mail.

A campanha diz que o trabalho é semelhante ao realizado por outras coordenadorias, como de Juventude, Diversidade, Mulheres, Nordestinos, entre outras.

Segundo a campanha de Serra, "a função do pastor Alcides Cantóia é atender às demandas de ações e eventos dirigidos ao segmento dos evangélicos".

Questionada se considera legítima a negociação de benefícios em troca de apoio, a campanha nega que haja "negociação".

"Não se trata de uma negociação, mas de uma ação de atendimento a segmentos específicos"
, diz a assessoria.

No e-mail, a assessoria também afirma que Serra "tem reiterado em diversas ocasiões sua intenção de promover parcerias com todas as entidades e instituições religiosas e filantrópicas, em diversas áreas da gestão pública, como a saúde."

Fonte: www.adalagoas.com.br


Cinco Pessoas são mortas e outras 12 ficam feridas em Chacina na Baixada - Rio de Janeiro


O Rio de Janeiro viveu mais uma noite de terror imposta por criminosos, com as mortes a tiros de pelo menos cinco pessoas e ferimentos em outras dez na Baixada Fluminense. O massacre ocorreu no bairro do Éden, em São João de Meriti, por volta das 19h30. Bandidos que ocupavam dois carros desceram e dispararam a esmo contra um grupo de moradores que faziam um churrasco na Rua Cruz da Sé.

Entre as vítimas da barbárie, os cinco mortos foram identificados como Rozilene Nacimento de Oliveira, de 37 anos; Tiago da Silva Santos, 25; Walace Oliveira de Jesus, 16; Felipe Consentino, 19; e Marcos Otávio Barbosa, 16, que seria filho da mulher que comemorava o aniversário com familiares e amigos.

Outros cinco baleados, que foram levados para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, foram identificados no final na noite. São eles Alexandre Martins, 34 anos; Denílson da Ressureição, 25; Pedro Souza, 28; Marlon Cleyson, 21; e Renato do Nascimento, 26. Gilson Alves de Lima, 42 anos, foi levado em estado grave para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias.

O ataque provocou pânico e correria pelas ruas do bairro. Segundo a polícia, que investiga a autoria dos crimes e as causas, o número de mortos pode aumentar, já que algumas vítimas estão em estado grave.

De acordo com testemunhas, os bandidos chegaram ao local em dois carros, uma Saveiro e uma Highlux. O bando estava fortemente armado, com fuzis e pistolas e disparou contra os moradores. “Foi um horror. Nossa comunidade vivia em paz e passou a sofrer com ataques de criminosos depois que as UPPs foram implantadas nas favelas. Parece que os bandidos vieram para cá”, afirmou o metalúrgico Antonio de Oliveira, 44 anos, tio de uma das vítimas, Rozilene.

Comandante do 21º BPM, tenente-coronel Jorge Freitas descartou que a chacina tenha sido promovida por milícia que atua na área, hipótese que chegou a ser aventada. Para ele, o ataque pode ter sido por motivo passional. O caso foi registrado na delegacia da 64ª DP (São João de Meriti).

Fonte: http://www.odia.com.br/
O que está acontecendo com a Cidade Maravilhosa?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...