quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Avivamento do século XX


Sempre ouvi histórias sobre o avivamento mundial, as ondas e o mover que aconteceram durante a história da igreja, vieram e varreram o pecado, espalharam o Espírito Santo e o evangelho por um certo tempo e depois desapareceram. Mas porque isto?  Será porque serviram apenas ao propósito naquela geração e ponto? Digo isto, pois achei algo interessante nos três maiores avivamentos do Século XX, vejamos:

O avivamento de Gales:
Deus levantou um jovem das minas de carvão para tocar fogo em seu país!
 Foi um dos mais impressionantes moveres de Deus de todos os tempos, em nove meses de avivamento, o país inteiro foi transformado, mas de cem mil pessoas aceitaram a Cristo, tudo começou em 1904, quando Evan Roberts, um jovem de 26 anos orava apenas para que Deus o enchesse do Espírito e enviasse um reavivamento sobre o seu país.

Os efeitos do avivamento foi tão forte e impactante, que a presença de Deus se espalhava de uma tal forma que em muito casos, os fregueses entravam nas tavernas, pediam bebidas e depois davam meia volta e saíam, deixando-as intocadas no balcão, o sentimento da presença de Deus praticamente paralisava o braço que ia levar o copo à boca.

Infelizmente, Evan, o "catalisador principal" do avivamento, não cuidou da sua própria saúde, tirando um tempo necessário para descansar. Ele começou a se sentir fisicamente exausto, vindo a finalmente ter um colapso, e em abril de 1906 retirou-se para a casa do Sr e Sra Penn-lewis na Inglaterra. Evan nunca mais exerceu o seu ministério avivalista, e sem a sua liderança, o avivamento logo se apagou. Rick Joyner, no seu livro "O Mundo em Chamas", fala sobre o papel do casal na vida de Evan:

"Parece provável que Jesse Penn-lewis tenha exercido uma parte significativa em levar o grande Avivamento do País de Gales a um fim prematuro, embora ela tivesse a melhor das intenções. Os relatos foram de que ela convenceu Evan Roberts a retirar-se do avivamento, porque achava que ele estava recebendo muita atenção, a qual deveria ser apenas para o Senhor..."

O avivamento liderado por Evan Roberts deixou um aproveitamento de 80% dos convertidos.

O Avivamento da Flórida
Em 1995 o Pastor Kirkpatrick, da Assembléia de Deus em Brownsville na Flórida EUA, convitou o Evangelista Steve Hill para pregar na igreja, este reuniu a congregação e fez um convite para renovação espiritual de seus membros, começou aí um grande mover de Deus. Ken Griffin, um membro da igreja na época e hoje um dos seus líderes relembra: "Assim que ele começou a orar pelas pessoas, todo tipo de coisa começou a acontecer... Algumas pessoas  caíram no espírito, outras foram curadas e o culto que começou de manhã foi terminar depois das 4 horas da tarde".

A notícia rapidamente se espalhou que pessoas estavam sendo milagrosamente curadas e houve muitos convertidos. Logo, os cultos de avivamento ocorriam quatro ou cinco noites por semana. As pessoas precisavam esperar em longas filas para entrar na igreja localizada em um dos bairros mais pobres de Pensacola, pequena cidade do norte da Flórida.

Durante vários anos depois daquela noite, milhões de visitantes de todo o mundo foram até a pequena igreja para testemunhar o maior reavivamento pentecostal moderno. A cada noite, multiplicavam-se os testemunhos de curas de doenças como câncer. Calcula-se que, no seu auge, a Assembléia de Deus de Brownsville atraia cerca de 5.500 pessoas por noite durante seis anos. Isso totaliza de 3 a 4,5 milhões de pessoas.

Soube de um pastor que já estive lá que no raio de 90km da cidade era possível sentir a presença de Deus, um trajeto que demorava cerca de 4 horas, ele demorava aproximadamente 9 horas, pois dirigia o seu carro e parava pra chorar, dirigia novamente, mas tinha que para no acostamento para continuar chorando de tão intenso mover de Deus.

Quase uma década depois do auge do avivamento, a igreja pede socorro, com mais de 11,5 milhões de dólares em dívidas, está vazia, com apenas 800 membros os seus pastores pedem ajuda financeira às quase 7 milhões de pessoas que foram abençoadas espiritualmente lá durante todo este tempo.

Ao ouvir do avivamento de Gales, o mundo inteiro começou a buscar também a manifestação do Espírito, há relatos de um intenso avivamento na Coreia, mas foi nos Estados Unidos que o avivamento tomou rumo e proporções diferentes.

Liderados por William Joseph Seymour, um pregador afro-americano, teve início com uma reunião em 14 de novembro de 1906 em um prédio que fora da Igreja Metodista Episcopal Africana e continuou até meados de 1915. O avivamento foi caracterizado por experiências de êxtase espiritual acompanhadas por falar em línguas estranhas, cultos de adoração, e mistura interracial. Os participantes foram criticados pela mídia secular e teólogos cristãos por considerarem o comportamento escandaloso e pouco ortodoxo, especialmente para a época. Hoje, o avivamento é considerado pelos historiadores como principal 
catalisador para a propagação do pentecostalismo no século XX.

A grande diferença entre os avivamentos de Gales, Flórida e Nova Iorque é que os dois primeiros não teve o seu foco correto, o de Gales teve seu referencial em Evan Roberts, e quando este desapareceu o mover também se foi, o da Flórida por sua vez, fez um mega investimento em estrutura para receber o povo, porém não houve discipulado e um ensinamento forte o suficiente para manter este povo lá, consequentemente o povo se foi.

Agora, o avivamento da Nova Iorque além de radicalizar no pentecostalismo, fez com que Seymour viajasse pelos EUA para propagar o mover de Deus, isto fez com que o mover de avivamento não ficasse restrito a um só lugar, foi nesses dias em que Daniel Berg e Gunnar se conheceram e vieram para o Brasil. A consolidação e a propagação do movimento pentecostal encabeçada por Seymour foi fundamental para que o avivamento da Rua Azuza deixasse um legado que certamente não se apagará tão cedo.

Assim fizeram os apóstolos, não guardaram para si o que receberam no cenáculo, esta já era uma ordem de Cristo: "fiquem em Jerusalém ATÉ QUE..." isto significa que aquilo que recebemos da parte de Deus deve ser passado adiante, ou então a torneirinha das revelações espirituais podem ser fechadas, deixando apenas um sentimento nostálgico do que Deus já fez além de prejuízos humanos, financeiros, emocionais, ministeriais entre outros.

Autor: Ed Oliveira.
Fonte: http://www.adcn.org.br/j/blog_post/1332905198
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...